28/05/2012 às 23h52min - Atualizada em 28/05/2012 às 23h52min

Hora de ir para a escola: E agora, mamãe?

O que os pais podem fazer para minimizar os temores da criança

Livia Clozel
E se ele não gostar do ambiente? Ou da professora? E se alguma criança bater nele? E se ele não quiser comer nada? E se ele sentir a minha falta? – Todos esses pensamentos passam pela cabeça da mãe, que é quem mais sofre com a separação quando o filho vai para a escola. Ela tem dificuldades em estar longe e de quebrar o vínculo mãe-bebê, que antes era absolutamente exclusivo. Agora, ela terá que compartilhar seu filhinho com outras pessoas: os coleguinhas e a professora; e essa não é uma tarefa fácil, pois ela está habituada a estar no controle da situação e identificar os pequenos sinais de desconforto da criança. É natural que ela sinta certa insegurança neste momento de separação.
Mas fiquem tranquilas mamães, pois a maioria das crianças pequenas adoram ir para a escola, principalmente porque lá tem outras crianças para brincar. Essa relação com pessoas diferentes da sua família é extremamente benéfica pois a escola é onde a criança aprende novos hábitos e outras regras de convivência. Ao se relacionar com outros, a criança se desenvolve e exercita a sua autonomia e agora terá que tomar atitudes sem o apoio dos pais. Esse é um grande aprendizado para a construção da personalidade da criança.
É claro que nem toda criança aceita essa separação facilmente e pode chorar muito para entrar na escola mas, acredite: depois de alguns minutos ele estará envolvido em alguma brincadeira e sorrindo com os novos coleguinhas. Por isso é importante a mãe manter-se calma e firme na hora de deixar a criança na escola. Tenha em mente que você está fazendo o melhor para o seu filho, ou seja, dando a oportunidade dele conviver com outras crianças. Isso é uma grande prova de amor. Não se preocupe muito com os choros e as manhas, a criança usa isso porque ainda está insegura em um novo ambiente, mas logo ela irá se acostumar. Para a criança tudo é uma questão de adaptação. Isso às vezes leva mais tempo ou menos.
O que os pais podem fazer para minimizar os temores da criança é prepará-la antes para essa separação. Devem começar a falar sobre a escola, descrever como será o ambiente, dizer que o filho irá para lá para ter contato com mais crianças, fazer novas amizades, aprender um monte de coisas novas. Se possível, leve a criança para uma visita ao local e envolva-a na compra do material escolar. Ressalte sempre o lado positivo dessa nova etapa da vida da criança, que é de fato, incrível! Ao voltar da escola os pais devem perguntar como foi o dia e ouvir atentamente os novos aprendizados da criança.
Lembre-se de sempre o elogiar pelo desempenho adequado e mostrar alegria por suas novas conquistas, afinal, seu filho está crescendo e se desenvolvendo.
 
Jéssica A. Fogaça
Psicóloga Infantil Comportamental e Arte Educadora
CRP 6/95913
Psicóloga Comportamental, possui Aprimoramento em Intervenção em Dificuldades de Aprendizagem Acadêmica e Curso de Formação em Terapia Analítico Comportamental Infantil.
É autora do capítulo "Imagem Corporal" do livro Oficinas de Sexualidade para Adolescentes Sob Enfoque Comportamental e do capítulo "A Fase dos Porquês" do Manual Sexualidade Também é Coisa de Criança.
Atua como Psicóloga Clínica e também como Palestrante, Arte Educadora e Contadora de Histórias.
É pesquisadora do fenômeno Bullying desde 2008 e autora de artigos sobre esse tema e Sexualidade Infantil.
 
Telefone: 11 8526-2622

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »