27/05/2020 às 16h42min - Atualizada em 27/05/2020 às 18h55min

Puerpério em tempos de isolamento social

A maternidade é uma experiência singular, cada mulher inventa e reinventa sua própria experiência na relação com cada filho e em cada situação.
 
Em tempos de distanciamento social, uma reviravolta aconteceu na vida de todos, mas principalmente na das mulheres que são mães. As demandas e as exigências familiares e sociais aumentaram e o sofrimento materno com certeza se intensificou. Muitas mães estão trabalhando de casa e, ao mesmo tempo, cuidam dos filhos que delas dependem. O cuidado com os filhos ainda é entendido pela sociedade e até mesmo por algumas mulheres como responsabilidade da mãe, enquanto o pai poderá "ajudar".
 
Há aquelas mães que são profissionais de saúde e não podem estar com os filhos, que geralmente estão aos cuidados de familiares devido ao risco de contaminação. Quando o distanciamento deles não é possível, essas mães vivenciam o medo diário de colocá-los em risco. A situação é mais delicada quando essa mulher está no puerpério. Há alguns anos, as mulheres buscavam apoio em suas mães, irmãs, sogras e amigas para enfrentarem as dificuldades da maternidade. Diferente do modelo ideal e feliz divulgado pela mídia, a puérpera atravessa transformações corporais, emocionais e sociais.
 
A rede de apoio construída por vínculos afetivos (família) auxilia na vivência dessas mudanças e fortalecem a mãe para cuidar de seu bebê. Atualmente, encontramos mães que lidam com todas essas transformações sozinhas e distantes dessa rede de apoio familiar. A partir da orientação de distanciamento social, as puérperas não puderam mais contar com esse apoio físico, deixando-as mais vulneráveis ao sofrimento psíquico. Se no puerpério a mulher já se afastava do social para cuidar de seu bebê, agora, ela se isola na solidão da experiência materna.
 
Nesse momento de isolamento, as redes sociais podem ser um recurso interessante para enfrentar os desafios da maternidade desde que possibilitem espaços de fala e troca de experiências, sem julgamentos e sem modelos maternos. E a rede de apoio afetivo, virtual ou não, auxilia no percurso materno que é único para cada mulher!
 
O envolvimento e o apoio do pai do bebê merecem destaque ao se falar dos recursos que podem amenizar as dificuldades e angústias enfrentadas pela puérpera, inclusive nos casos em que se configura um quadro de depressão pós-parto. Por um lado, o pai pode oferecer apoio diretamente à mulher/mãe deprimida e atuar como mediador da interação mãe-bebê; por outro, também pode estabelecer uma interação positiva diretamente com o bebê. As puérperas ainda lidam com a culpa por não se sentirem seguras o tempo todo e cheias de contentamento. O que existe é uma mistura de sentimentos. O apoio às puérperas pode acontecer de diferentes modos, mas envolve fundamentalmente legitimar e acolher sua experiência.
 
É tempo de acolhermos o acaso, é tempo de invenção! Que a maternidade seja reinventada mesmo sem a rede de apoio físico importante no puerpério, na conciliação com o trabalho realizado em casa, na distância dos filhos para as mulheres que são profissionais da saúde. Mas, que essa reinvenção seja feita sem as cobranças sociais que se acentuaram nesse momento de pandemia.
Mirene Fonseca: Especialista em Clínica Psicanalítica, Saúde Metal e Psicologia Hospitalar. Mestre em Psicologia.
 
Nivea Gomes: Mestre na área de Estudos Psicanalíticos. Membro do Parlêtre: Psicanálise, Pesquisa e Transmissão. 
 
Sobre a Faculdade Pitágoras
Fundada em 2000, a Faculdade Pitágoras já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação, extensão e ensino técnico, presenciais ou a distância.
 
Presente nos estados de Minas Gerais, Maranhão, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Paraná e São Paulo, a Faculdade Pitágoras presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Faculdade Pitágoras oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. 
 
A Faculdade Pitágoras nasceu herdando a tradição e o ensino de qualidade oferecido pelo Colégio Pitágoras, fundado em 1966, que também deu origem ao grupo Kroton. Para mais informações, acesse: http://www.faculdadepitagoras.com.br
 
Sobre a Kroton
A Kroton, que faz parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, atende ao mercado B2C do Ensino Superior, levando educação de qualidade em larga escala. Presente em mais de 900 municípios em todo Brasil, a companhia conta com 176 unidades próprias, 1.410 polos de ensino a distância e 846 mil estudantes, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar. Transformar a vida das pessoas por meio da educação, formando cidadãos e preparando profissionais para o mercado, é a missão da instituição, que trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »