06/04/2020 às 12h32min - Atualizada em 06/04/2020 às 13h03min

Aplicativo de entregas criado em Porto Velho prepara expansão

Criado pela empresária Bruna Baseggio, o aplicativo de entregas Juma consolidou seu espaço na capital de Rondônia e, agora, quer partir para novos desafios.

DINO
http://jumaentregas.com.br

O mercado de entregas se popularizou rapidamente no Brasil e no mundo. Recentemente, com a junção da tecnologia dos aplicativos, ficou cada vez mais fácil pedir uma pizza, hambúrguer, compras de mercado, de farmácia ou de literalmente qualquer outra coisa.

Segundo um levantamento de 2019, realizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, o mercado de delivery movimenta por ano 11 bilhões de reais.

Quem pensa que só empresas multinacionais fazem parte desse setor, está bem enganado. 

Sim. A gente leva. O slogan do aplicativo rondoniense Juma explica muito bem qual é o seu objetivo. Ser o principal serviço de entregas da região, ou melhor, do Brasil.

Com um projeto ambicioso de expansão, o serviço nasceu há quatro anos como uma empresa de motoboys em Porto Velho. No entanto, há dois anos decidiram passar por um processo de modernização, inserindo o aplicativo para agilizar as tarefas de estabelecimentos e empresas conveniadas, motoboys e clientes.

Segundo a criadora da Juma, a empresária Bruna Paula Bassegio, eles foram os precursores dos serviços de entrega via app em Porto Velho. “Quando começamos, não tinha um aplicativo para motoboy, voltado a entregas. Fomos os primeiros a nascer e trabalhar aqui, especializados em entregas rápidas através de nossa plataforma online”.

Bruna, que nasceu em Vilhena, mas há 10 anos mora na capital, conta que começou muito cedo no ramo de entregas, aos 16 anos.

Sua primeira companheira de trabalho foi uma bicicleta, em que rodava a cidade toda para realizar suas entregas.

“Aos 18 anos, tirei minha habilitação e fui pra moto. Meu trabalho sempre foi na rua, lidando com gente e dessa profissão veio a oportunidade de montar uma empresa de motoboy e, assim, nasceu a Juma. Há um ano estamos em um crescimento muito grande”.

Ela conta que o nome da marca é uma homenagem a duas pessoas bem especiais na sua vida: sua sobrinha Júlia e sua irmã Mari. “Morávamos todas juntas. Como eu perdi minha mãe muito cedo, minha irmã virou meu referencial, meu tudo, então decidi prestar essa homenagem a ela e a minha sobrinha e, assim, nasceu o nome Juma”.

Hoje, a empresa é o maior serviço de entregas em Porto Velho e agora, a expectativa é expandir para o resto do Brasil através de franquias. 

 

Qualquer coisa em um clique

 

Apaixonada por tecnologia, Bruna entende que o mundo mudou e os aplicativos vieram para ajudar a vida das pessoas. É “ver, aceitou, pegou e já vai”, como ela diz.

“A ideia de criar o aplicativo veio de observar as necessidades de empresas e restaurantes. Imagine um caixa que tem de dar conta de atender cliente, chamar o motoboy e preparar o pedido. Com o app, em um clique ele já consegue solicitar uma entrega”.

Ela explica que tem basicamente dois tipos de clientes, as empresas conveniadas e os clientes.

No caso das empresas conveniadas, eles contam com o acesso a uma plataforma de solicitação de corrida. Quando eles recebem um pedido, basta em alguns cliques chamar um entregador da Juma, que se dirige até o local, faz a retirada e entrega ao cliente.

Caso seja necessário, o entregador também leva a maquininha do estabelecimento para fazer a cobrança do produto e, ao final, volta a empresa parceira para devolvê-la.

No caso de um cliente final, ele mesmo pode baixar o app da Juma e solicitar uma entrega de um produto, desde que já esteja pago. “Ele pede para eu retirar e buscar, não pra comprar”.

Por exemplo, imagine um advogado que precise buscar um documento de um cliente. Ele pode baixar o app da Juma e solicitar que o entregador vá até a casa dele e transporte o documento até o escritório. 

 

Qualidade no serviço e bom atendimento

 

Segundo Bruna, o grande diferencial da empresa é o bom atendimento que a Juma Entregas oferece aos seus entregadores, conveniados e clientes dos conveniados.

Ela explica que eles possuem regras bem rigorosas de higiene pessoal, personalização e qualidade no serviço. “Sempre orientamos os entregadores a estarem sempre bem vestidos, com vestimenta personalizada, nossa caixa própria”.

Já para os entregadores, Bruna explica que o foco é oferecer a eles bons ganhos, podendo levar sustento para suas casas.

“Não queremos ganhar o dinheiro deles, temos muita admiração pelos entregadores e entendemos que essa não é uma profissão qualquer. Por isso, oferecemos um sistema de ganhos diferenciados, que permite a empresa ganhar e eles também”. 

 

“Não vejo grandes apps como concorrentes”

 

Para a dona da Juma, a ideia de que grandes apps são concorrentes diretos da empresa não é verdadeira.

Afinal, diferente desses aplicativos, a Juma é responsável somente pela entrega. Aliás, entrega de tudo. “A gente trabalha com lojas de sapatos, farmácia, mercado e muitos mais. Por isso, não entendo que eles sejam nossos principais concorrentes, pelo contrário, vejo como parceiros”. 

 

Crise obrigou estabelecimentos a partirem para o delivery

 

O impacto provocado pela pandemia do novo coronavírus fez com que muitos estabelecimentos, que não estavam atentos aos serviços de entregas, começassem a enxergá-los como sua salvação.

Bruna conta que o aumento na demanda de pedidos é visível, e de novos clientes também.

Segundo ela, muitos estabelecimentos com os quais ela já havia entrado em contato para firmar uma parceria, decidiram fechar um contrato agora, devido à crise. “A gente falava para eles da importância de ter um serviço de entregas, mas eles não queriam. Agora, com a crise, muitos deles voltaram atrás”.

Assim, Bruna entende que os serviços de entrega e tecnologia tomarão um caminho diferente da economia nos próximos tempos. “Sabemos que os próximos meses serão difíceis, mas isso fará com que muitas pessoas partam para as entregas, pois querem comodidade”.

 

Juma Entregas pelo Brasil

 

Agora o foco é expandir a empresa para o resto do Brasil.

Nas últimas semanas, a Juma começou uma intensa campanha de venda de franquias.

“Até agora nosso marketing era bem local. Nossa principal divulgação eram nossas bags personalizadas, que as pessoas batiam o olho e viam o nome Juma. Agora, contratamos uma agência especializada e nosso foco é realizar vendas de franquias por todo o Brasil”.

Ela revela que as 30 primeiras cidades não terão taxa de franquia, tendo que pagar apenas a taxa de abertura do app. Além disso, vão receber um plano de negócios completo para, segundo Bruna, “não terem que quebrar a cabeça”.

Caso você tenha ficado interessado e queira saber mais informações sobre a Juma entregas, como ser um entregador, franqueado ou ter as entregas da sua empresa feita por eles, não deixe de acessar o jumaentregas.com.br, ou entrar em contato pelo WhatsApp: (69) 99234-9304 .



Website: http://jumaentregas.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »