27/03/2020 às 16h33min - Atualizada em 28/03/2020 às 00h36min

Sistema integra informações dos estados e municípios sobre pacientes diagnosticados com Covid-19

Governador Valadares (MG) assina termo de cooperação e se torna a primeira cidade a testar a tecnologia

DINO

É uma corrida contra o tempo para salvar vidas; a tecnologia e a integração de dados são grandes aliadas. No dia 26 de fevereiro, quando o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, as comunidades médicas e sanitárias já previam o risco da pandemia atingir o país. Desde então, a JMM Tech, sediada em Belo Horizonte (MG) e o Departamento de Ciência da Computação (DCC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) uniram forças para desenvolver um sistema integrado aliado no combate à disseminação da Covid-19.
 
Trata-se de uma central de comando e controle on-line, que vai funcionar via site ou aplicativo, dando acesso a informações integradas de pacientes e casos suspeitos aos agentes de saúde em todo o Brasil. "O software vai rastrear e identificar os pacientes confirmados e os casos suspeitos de todas as unidades de saúde e hospitais, para que as autoridades competentes saibam onde esses pacientes estão, sua movimentação, por onde andaram e a evolução da doença", adianta o CEO da JMM Tech, Ernani Miranda Machado.
 
Segundo ele, o desencontro de informações, a falta de dados sobre os pacientes e a subnotificação de casos já identificados por hospitais e centros de saúde são os principais pontos dificultadores do combate ao avanço da Covid-19. "O foco do sistema é a integração de dados. A ideia é promover a unificação de informações de todas as secretarias municipais e estaduais de saúde em uma única plataforma e possibilitar que o paciente com o diagnóstico da Covid-19 seja rastreado, inclusive por reconhecimento facial, possibilitando às autoridades de saúde saberem se ele está cumprindo a quarentena, como está seu estado de saúde e de seus cuidadores e a evolução do quadro", detalha Ernani Machado. "O sistema dá acesso, também, a uma área exclusiva do paciente, o 'APP do Cidadão', com funcionalidades, como um 'botão do pânico', caso a pessoa diagnosticada com Covid-19 se sinta mal e necessite de ajuda médica de urgência", completa.
 
Autoridades médicas e de saúde afirmam que a previsão de pico dos casos na epidemia da Covid-19 no Brasil será no início de abril e a única medida eficaz para impedir o avanço do vírus tem sido a recomendação expressa de isolamento social. "Com o sistema, absolutamente todos os hospitais e postos de saúde terão um 'raio-x' dos dados dos pacientes confirmados e suspeitos em tempo real, com informações concretas, gráficos e mapa de calor por cidade, faixa etária, sexo e outros aspectos. Isso é a inteligência artificial possibilitando a organização das informações, com dados que contribuirão, e muito, para o controle da situação", afirma. "Uma ferramenta sem precedentes, que ainda conta com a possibilidade de associar informações de outras agências e órgãos, como as polícias, Samu e Corpo de Bombeiros, para que todos trabalhem juntos no combate a esse inimigo invisível que dominou o país e o mundo."

Uma grande corrente de forças está sendo formada na luta contra o vírus. Cerca de 220 pessoas estão envolvidas nessa iniciativa e a esperança dos desenvolvedores é que mais profissionais e empresas de tecnologia abracem a causa. A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação (Embrapii) e outros órgãos estão analisando para fazer parte dessa cooperação. A UFMG e a Associação Comercial e Empresarial de Governador Valadares (ACE/GV) já cooperam. 
 
No dia 23 de março, a cidade de Governador Valadares, na região do Vale do Rio Doce (MG), assinou termo de cooperação com a JMM Tech, de modo a garantir aos profissionais de saúde ferramentas tecnológicas para monitorar casos suspeitos, com a utilização de geolocalização. O termo não vai gerar ônus para a cidade, que terá apenas que garantir a logística a estrutura física necessária.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »