24/03/2020 às 11h28min - Atualizada em 24/03/2020 às 16h48min

Contra o COVID-19, informação é a melhor saída para o combate às fake news

Belo Horizonte, 24 de março de 2020 – O número de casos confirmados e de mortes causadas pelo COVID-19, o coronavírus, não param de crescer em todo o mundo. No Brasil, as medidas necessárias para evitar o avanço da doença já estão sendo tomadas, como o isolamento social e o esclarecimento de medidas preventivas para evitar a contaminação. Porém, notícias falsas, ou fake news, como são conhecidas, têm tomado espaço nos aplicativos de mensagens e nas redes sociais.

 

Desde o surgimento do COVID-19, as notícias sobre a doença têm assustado a população. “Muitas informações são divulgadas a todo momento, mas é importante saber que nem tudo é verdade. Procurar a fonte é indispensável”, afirma Gustavo Arouca, coordenador do curso de Direito da Faculdade Pitágoras, unidade Antônio Carlos. Para ajudar no esclarecimento sobre a doença, o Ministério da Saúde criou uma página dizendo o que é verdade e o que não é.

 

Gustavo também explica que há diversas formas de saber se uma notícia é verdadeira. “É preciso verificar em sites de referência e de conhecimento de todos, como veículos de comunicação confiáveis, sites internacionais e principalmente órgãos públicos, sem esquecer de pesquisar diretamente na fonte da notícia. No caso do coronavírus, o recomendado é checar as informações que chegarem sem fonte, pelas redes sociais, por exemplo, no site do Ministério da Saúde. Lembrando que informações que não são verdadeiras, não devem ser levadas em consideração e nem repassadas”, explica.

 

Gustavo Arouca ainda alerta que, em algumas situações, divulgar notícias falsas pode ser crime. “Alarmar sobre desastre ou perigo inexistente e praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto é considerado contravenção penal e pode gerar prisão ou multa. O importante é sempre se informar para garantir que estamos seguindo os procedimentos corretos e colaborarmos para o controle da pandemia”, afirma.

 

 

Sobre a Faculdade Pitágoras

Fundada em 2000, a Faculdade Pitágoras já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação, extensão e ensino técnico, presenciais ou a distância.

 

Presente nos estados de Minas Gerais, Maranhão, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Paraná e São Paulo, a Faculdade Pitágoras presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Faculdade Pitágoras oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais.

 

A Faculdade Pitágoras nasceu herdando a tradição e o ensino de qualidade oferecido pelo Colégio Pitágoras, fundado em 1966, que também deu origem ao grupo Kroton. Para mais informações, acesse: http://www.faculdadepitagoras.com.br

 

Sobre a Kroton

A Kroton, que faz parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, atende ao mercado B2C do Ensino Superior, levando educação de qualidade em larga escala. Presente em mais de 900 municípios em todo Brasil, a companhia conta com 176 unidades próprias, 1.410 polos de ensino a distância e 846 mil estudantes, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar. Transformar a vida das pessoas por meio da educação, formando cidadãos e preparando profissionais para o mercado, é a missão da instituição, que trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »