27/02/2020 às 14h24min - Atualizada em 28/02/2020 às 15h05min

Aliança Navegação e Logística amplia escalas no Porto do Itaqui, no Maranhão

São Luis (MA), fevereiro de 2020 - O Maranhão está na rota de cabotagem do mercado nacional e a expectativa é de forte crescimento a partir deste ano. A afirmação é do gerente nacional de Vendas Cabotagem da Aliança Navegação e Logística, Jaime Batista, após reunião com as lideranças da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP). A partir deste mês, a Aliança Navegação e Logística, líder em cabotagem no Brasil, retomará a linha regular de contêineres no Porto do Itaqui, em São Luís, com maior frequência de escalas.
 “Passamos alguns meses testando, monitorando a produtividade, um período também de muita prospecção de carga com resultados positivos junto aos empresários, o que nos motivou a investir na continuidade dos serviços na região”, disse o executivo. Segundo ele, a tendência é aumentar a movimentação com o incremento do índice de confiança do setor privado em relação à cabotagem, como acontece em outras regiões do País.
Atualmente, os setores que mais utilizam a cabotagem são varejo e construção. As cargas variam de matéria-prima para indústrias a alimentos, incluindo refrigerados.
Segundo o presidente da EMAP, Ted Lago, o objetivo da retomada do serviço regular de cabotagem é atrair mais negócios e reduzir o custo logístico para as empresas maranhenses, fortalecendo uma cadeia fundamental para o desenvolvimento econômico do Estado. “O mercado se organizou para consolidar as cargas e o Porto do Itaqui conta com toda a infraestrutura necessária para a operação semanal”, afirma Lago.
As tratativas entre o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), EMAP, comunidade portuária e iniciativa privada começaram há dois anos. Desde agosto de 2019, a Aliança vem realizando os testes e ajustes necessários para ampliar a frequência. “O trabalho conjunto permitiu identificar as principais necessidades do empresariado local e amadurecer a oferta de um serviço regular, que garanta periodicidade, eficiência, segurança e o melhor custo/benefício”, destaca Jaime Batista.
A infraestrutura portuária para armazenagem de contêineres do Porto do Itaqui contempla uma área de 20.250 m2 com capacidade estática para 1.341 TEUS. “Estamos animados com o serviço semanal e confiantes com o aumento da demanda em toda a região”, finaliza.
Sobre a Aliança Navegação e Logística
Fundada em 1950, a Aliança Navegação e Logística integra o grupo Hamburg Süd, que agora faz parte do Grupo Maersk, líder mundial em logística de contêineres.  A frota de 13 navios no serviço de cabotagem e Mercosul conecta 20 portos da Patagônia, na Argentina, a Manaus (AM), realizando mais de 120 escalas mensais. A Aliança é líder no transporte multimodal na América do Sul, transportando commodities que vão de gêneros alimentícios a metais, contemplando clientes de diversos segmentos.
 
Informações à Imprensa – Aliança
DFREIRE Comunicação e Negócios -  www.dfreire.com.br - (11) 5105-7171
Élida Gonçalves – [email protected]
Luciana Abritta – [email protected]
Débora Freire – [email protected]
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »