03/02/2020 às 17h36min - Atualizada em 04/02/2020 às 01h42min

Ramacrisna e BrazilFoundation lançam projeto para capacitar jovens

O projeto tem o objetivo de qualificar profissionalmente adolescentes e jovens, em situação de vulnerabilidade social e pessoal, moradores de Igarapé, promovendo a sua inserção no mercado de trabalho.

DINO


O Instituto Ramacrisna, a organização internacional BrazilFoundation e a Prefeitura de Igarapé lançam nesta quarta-feira, 5 de fevereiro, o projeto Ampliando Fronteiras no auditório do CECI - Rua Primeiro de Maio, 100, Centro de Igarapé, às 9h. O evento é voltado para autoridades e empresários da cidade mediante confirmação de presença. O projeto tem o objetivo de qualificar profissionalmente adolescentes e jovens, em situação de vulnerabilidade social e pessoal, moradores de Igarapé, promovendo a sua inserção no mercado de trabalho.

Ao todo, o projeto irá beneficiar 306 adolescentes e jovens em 6 cursos ao longo do ano. Dentre eles, 5 já tem início em fevereiro, sendo Logística e Informática realizados na cidade de Igarapé e Eletricista de Instalações, Mecânica de Automóveis e Soldagem, realizados na sede do Ramacrisna, em Betim. Está previsto ainda, curso de Vendas com realização em Igarapé a partir de abril. Para participar do projeto, os jovens precisam ter entre 16 e 29 anos e ensino fundamental completo. Além de não pagar nenhuma taxa, os alunos recebem uniforme, material didático digitalizado e certificação ao final do curso. Um ônibus para transporte dos alunos até o local do curso, em Betim, estará disponível gratuitamente.

Para vice-presidente do Ramacrisna, Solange Bottaro a capacitação irá promover sua independência financeira e desenvolvimento profissional e pessoal. "Esse empoderamento se reflete no relacionamento harmonioso com a família e na diminuição da marginalidade, uso e tráfico de drogas, interferindo positivamente na segurança e bem-estar da sociedade".

Sobre a Ramacrisna
Criado pelo jornalista Arlindo Corrêa da Silva, o Instituto Ramacrisna comemora em 2019, 60 anos de atividades ininterruptas. Desenvolve projetos culturais, educacionais, aprendizagem, profissionalizantes, entre outros, voltados para comunidade em situação de vulnerabilidade social de Betim e nove cidades do entorno. O nome da instituição é em homenagem ao filósofo indiano Sri Ramakrishna, ecumenista que viveu no século 19 e pregava o trabalho social como forma de transformação do ser humano. Ele se tornou conhecida em todo o Brasil como instituição do Terceiro Setor referência em projetos de autossustentabilidade por possuir uma Fábrica de Telas de Arame. O resultado obtido com as vendas é destinado ao setor social da Ramacrisna, garantindo mais autonomia e uniformidade no atendimento às pessoas amparadas pelos projetos.

O Ramacrisna ainda coleciona, desde sua fundação, diversas premiações renomadas, entre elas o Prêmio Itaú-Unicef, no qual ficou em 1º lugar na regional Minas Gerais e finalista Nacional em 2017 e 2018. O prêmio é considerado o maior do Brasil no campo da educação com a chancela da UNICEF - Fundo das Nações Unidades Para a Infância. Foi selecionada, por 3 anos consecutivos, como uma dass 100 Melhores ONGs para se doar e em 2018 eleita a melhor em Assistência Social no Brasil pelo Instituto Doar e Rede Filantropia. E ainda está no Ranking internacional "Great Place to Work (GPTW)", que reconhece os melhores lugares para se trabalhar.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »