26/12/2019 às 10h31min - Atualizada em 26/12/2019 às 11h12min

Indústria aposta em snacks exóticos e saudáveis para conquistar consumidor moderno

Alimentos funcionais são alimentos ou Indústria aposta em ingredientes que fazem bem para a saúde. Eles podem, por exemplo, reduzir o risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer e diabetes, entre outras.

DINO
http://www.qpod.com.br


Reforçar o conceito funcional do produto é nova tendência; segundo a Kantar WorldPanel, mais de 40% das refeições têm ingredientes escolhidos por razões de saúde.

A mudança no perfil e padrões de consumo está transformando o mercado de snacks. Impulsionado pela forte demanda que busca opções mais saudáveis, a indústria busca agora novas alternativas para atender à exigência do público. De acordo com dados da consultoria Deloitte Brasil, o segmento brasileiro de snacks é dividido em oito categorias, que respondem por mais de R$ 20 bilhões por ano, em faturamento. A consultoria calcula que o nicho de lanches saudáveis deve crescer mais de 60% até 2023.

O novo perfil do mercado exige investimento constante em inovação para agradar o novo consumidor. Em alguns casos, a resposta pode ser encontrada em regiões distantes – até mesmo em outro continente. É o caso da “pipoca” feita a partir das sementes da flor de lótus, produzida, embalada e distribuída pela Qpod. A planta é considerada sagrada em países como Índia, China, Japão e Egito, simbolizando a criação, fertilidade e pureza. A seu reconhecimento como alimento funcional ganhou força na Índia, de onde é originária, usada na medicina ayurveda. Considerado um tipo de lírio d’água, o lótus sobe até a superfície para florescer. Durante a noite, as pétalas fecham e a planta mergulha abaixo da água.

O snack importado da Índia pela Qpod possui alto valor nutricional, rico em cálcio, potássio, antioxidantes, ativos anti-inflamatórios, proteína vegetal e fibras, além de propriedades calmantes e até mesmo a favor da fertilidade. As sementes da planta caem naturalmente no fundo do lago durante seu ciclo de vida, sendo totalmente sustentável sem agredir a planta ou o meio ambiente, são colhidas manualmente em cestos, secas ao sol e aquecidas. Com o calor a casca se rompe dando forma ao snack. O produto surge como uma grande promessa da marca, conhecida por seus produtos inovadores ao trazer com exclusividade um novo superfood ao mercado brasileiro.

Preocupada com o meio ambiente, a companhia também apoia e financia o sistema de logística reversa do Eu Reciclo (https://eureciclo.com.br/). O processo funciona por meio do apoio a uma cooperativa de coleta e reciclagem: todo material produzido para ser utilizado em embalagens e caixas são contabilizados durante um ano de trabalho. Depois disso, a soma desse volume é utilizada como base para a instituição fazer a coleta e reciclagem de resíduos de terceiros. Assim, por meio da compensação ambiental, é como se a empresa fizesse a reciclagem de todo material de embalagem produzido.

O produto pode ser encontrado em diversos supermercados como Pão de Açúcar, Carrefour e St Marche. 



Website: http://www.qpod.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »