05/05/2014 às 10h47min - Atualizada em 05/05/2014 às 10h47min

Alckmin anuncia futura instalação do Museu da Diversidade em casarão da Avenida Paulista

Conhecido como Casarão Franco de Mello, imóvel é tombado pelo Condephaat. Novidade foi divulgada em coletiva da Parada do Orgulho LGTB

Secretaria da Cultura

O governador Geraldo Alckmin anunciou neste domingo, 4, a futura instalação do Museu da Diversidade no Casarão Franco de Mello, um dos últimos exemplares de arquitetura residencial da primeira ocupação da Avenida Paulista. O anúncio foi realizado na coletiva da 18ª Parada do Orgulho LGBT, em São Paulo. Quando concluída ação de desapropriação indireta, o local será destinado ao funcionamento da sede principal do museu.

Criado em 2012, o museu recebeu aproximadamente 35 mil visitantes em 2013 no espaço expositivo da Estação República do Metrô. Este local será mantido, mas a ocupação do casarão possibilitará a ampliação de ações culturais e outras relacionadas à preservação, ao estudo e à difusão da memória da população LGBT paulista e brasileira.

“Inauguramos, no ano passado, o Museu da Diversidade, na estação de metrô da Praça na República. E, agora, descobrimos um prédio na Avenida Paulista, um conjunto arquitetônico do século 19 que vamos restaurar para transformá-lo no Museu da Diversidade, sexual, racial, um espaço para todas as formas de diversidade na Avenida Paulista, onde se iniciou e mantém a parada”, disse Alckmin.

O espaço, localizado no número 1.919 da Avenida Paulista, tem aproximadamente 600 metros quadrados de área construída e terreno de 2,7 mil metros quadrados.

Ao final destes trabalhos, o Estado de São Paulo ganhará mais um centro cultural vivo, dinâmico e engajado com a causa da diversidade. Em função da natureza e da localização do imóvel, o museu também trabalhará na preservação da memória da casa e do histórico de ocupação da Avenida Paulista.

Sobre o Museu da Diversidade

Criado em maio de 2012, por meio de decreto do governador Alckmin, o Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual – conhecido popularmente como Museu da Diversidade Sexual – foi o primeiro equipamento do gênero no hemisfério sul. Hoje há apenas mais dois espaços com finalidade semelhante: o Schwules Museum de Berlim, na Alemanha, e o GLBT History Museum, em São Francisco, nos Estados Unidos.

O museu tem como tema central a valorização da diversidade sexual no Brasil por meio de ações de pesquisa, a partir da abordagem da historicidade da população LGBT, do ativismo político e do legado sociocultural, entendendo seu importante papel como transformador da cultura brasileira.

Com isso, o espaço espera propiciar maior visibilidade à diversidade sexual, fomentar a discussão sobre a construção de políticas públicas voltadas ao combate à discriminação e à violência dirigidas a esses segmentos e promover a cultura da cidadania plena da população LGBT.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »