18/12/2019 às 14h55min - Atualizada em 23/12/2019 às 20h47min

Como transformar parte da residência em ponto comercial

Empreender nunca esteve tão em alta no país. Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), cerca de 11,1 milhões de empresas foram abertas nos últimos 3,5 anos. Abrir o próprio negócio requer investimentos iniciais como a definição do ponto comercial e a regulamentação da empresa e local. 

Em busca de aproveitar um espaço que já possui e usufruir da movimentação do bairro em que mora, muita gente decide transformar parte da casa em local de trabalho. As mudanças são feitas dependendo do negócio. Em muitos casos uma área da residência pode ser facilmente adaptada. 

Para o Sebrae, o mais importante é planejar, pesquisar e ficar atento aos mínimos detalhes no momento das mudanças. Esse processo requer cuidados básicos, como um profissional de construção civil para a elaboração do projeto e acompanhamento das etapas da obra. As instalações elétricas também devem receber atenção especial e devem ser feitas com ajuda de um profissional capacitado, já que dependendo do tamanho e demanda do estabelecimento será necessário fazer a mudança da rede bifásica para a trifásica. 

Questões como a hidráulica e a segurança devem ser vistas com cautela. A instalação de porta de enrolar de aço ou cancelas protegem o estabelecimento. Caso seja necessário, um estacionamento pode ser adicionado à obra para deixar os frequentadores mais a vontade no local. 

O Sebrae também destaca que lugares com acessibilidade, na sombra, de fácil visualização na rua e visualmente atraentes são mais propensos a adquirir clientes por impulso.  Além disso é preciso focar e criar uma rede de relacionamento com os clientes para expandir o negócio. Sendo assim, o sucesso do ponto comercial está aliado a comodidade ofertada aos clientes e na relação desenvolvida com os consumidores. 

Documentação necessária

Para transformar a residência em um ponto comercial é preciso de no mínimo seis documentos. Alvarás, licenças e a legislação vigente do estado estão entre eles. Além disso, é importante verificar se o zoneamento da região permite a abertura do negócio. Se o imóvel necessitar de regulamentação da Vigilância Sanitária ou controle ambiental, é importante deixá-lo adequado às normas exigidas. 

Por fim, é necessário registrar a empresa. O porte do negócio irá definir se o registro será feito como microempresa ou microempreendedor individual, o MEI. Para cada um há uma regulamentação específica que deve ser seguida para a abertura do negócio. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »