20/12/2019 às 18h37min - Atualizada em 23/12/2019 às 20h47min

Como cuidar da saúde evitando a poluição atmosférica

De acordo com o Ministério da Saúde, as mortes em decorrência da poluição atmosférica aumentaram 14% em dez anos. Em números, entre os anos de 2006 e 2016, a quantidade de óbitos por Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) foi de 38.782 para 44.228. 

Um ponto que deve ser levado em conta é a exposição ao O3 (poluição) em todo o Brasil, com destaque para os grandes centros urbanos e locais castigados pelas queimadas. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ao todo,  pela medição do Programa Queimadas, o Brasil registrou 66,9 mil focos de incêndio. No ano de 2018, o custo com internações por problemas respiratórios ultrapassou R$ 1,3 bilhão. 

Lugares desenvolvidos

A poluição atmosférica não está somente em locais de baixa renda. Por exemplo, a cidade de São Paulo está entre as mais poluídas do mundo, segundo relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2013. Os principais vilões são os meios de transporte, responsáveis por 90% da emissão de poluentes na cidade. 

A diminuição da qualidade no ar, pode causar inflamações, como conjuntivites e rinites, e doenças mais graves, como a pneumonia e até mesmo o câncer. No inverno, a situação fica ainda pior, já que a falta de chuvas e de ventos torna mais difícil a dispersão dos materiais particulados (partículas muito finas de sólidos ou líquidos suspensos no ar).

Cenário Mundial

Estima-se que ocorram anualmente 4,2 milhões de mortes atribuídas à poluição do ar ambiente no mundo. Desse montante, 91% ocorrem em países pobres, que estão situados na África e Sudeste Asiático.

Existem outros problemas de saúde decorrentes da poluição atmosférica, como doenças cerebrovasculares (DCV), doenças isquêmica do coração (DIC), doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), infecção respiratória aguda baixa, além de câncer de pulmão, traqueia e brônquios.

Como amenizar os efeitos

Com todos esses problemas, o ideal é se prevenir tomando medidas para aliviar os efeitos do tempo seco e da poluição, como hidratar os olhos com colírios, limpar o chão com pano úmido e beber água. O último item é muito importante, porque ele garante a hidratação do organismo. 

O purificador de ar também pode ajudar neste processo. Seu mecanismo foi criado para remover as impurezas do ar. Dessa forma, ele evita odores, pelos de animais, poeira, ácaros, fungos e bactérias. Além disso, também ajuda na prevenção de alergias respiratórias, como rinite, bronquite e asma e colabora não deixando o ar ficar ressecado ou muito úmido.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »