20/11/2019 às 16h33min - Atualizada em 21/11/2019 às 00h00min

Osteopatia: como funciona este tipo de tratamento?

Reconhecida como prática integrativa em saúde e especialidade da fisioterapia, a Osteopatia é opção terapêutica para aqueles que desejam precisão em diagnóstico e tratamento

DINO
http://www.ebrafim.com
Prática de Osteopatia durante treinamento de estudantes.

É fato que ninguém gosta de sentir dor. Porém, diante de uma colocação como essa, em geral o corpo oferece as melhores respostas, entretanto somente através das perguntas corretas é possível: identificar a raiz do problema para tratá-lo.

Uma pesquisa realizada pela SBED, Sociedade Brasileira para Estudos da Dor, 37% dos brasileiros, em especial os adultos, sofrem de dores crônicas - aquelas que perduram por mais de três meses.

Conviver com dor não é normal

Diante deste cenário, preocupações começam a aparecer. “É comum sentir dúvida nesse momento: como posso agir?”, diz Bruno Moreno, Coordenador de Cursos na EBRAFIM - Escola Brasileira de Fisioterapia Manipulativa.

O profissional traz como resposta uma solução positiva: Osteopatia. “Levando em conta que grande parte das dores corporais ou musculares - incluindo as crônicas -  são resultado de déficits de movimento que podem ter origem desde músculos, articulações, até vísceras e sistemas mais complexos, técnicas de Osteopatia assumem um papel fundamental como parte da recuperação”, aponta.

Técnica diferenciada

 A Osteopatia, Criada em 1874 pelo médico americano Dr. Andrew Taylor Still, é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como prática em Medicina Integrativa e reconhecida como especialidade do Fisioterapeuta no Brasil, desde 2001.

“De modo geral, podemos dizer que a Osteopatia consegue diferentes formas de diagnóstico, pois considera como primordial em sua avaliação a observação da função e mobilidade de diferentes sistemas e segmentos corporais, assim a causa de um sintoma de dor, por exemplo, não está associada a um único fator desencadeante, mas a uma soma de elementos em disfunção que podem levar a sobrecarga uma ou mais estruturas”, diz Bruno.

A Osteopatia estuda com profundidade tudo que se relaciona com a biomecânica e biodinâmica do movimento humano, portanto disciplinas como anatomia, fisiologia e cinesiologia são a base principal para o desenvolvimento deste trabalho.

Fisioteraputas interessados em ampliar seu conhecimento clínico e aumentar significativamente as possibilidades de tratamento aos seus pacientes vem buscando esta especialidade. “Para uma boa Formação em Osteopatia é fundamental que a rotina de estudos seja amparada por professores qualificados e, além disso, realizar treinamentos práticos e projetos de pesquisa”, diz Bruno.

Com intuito de somar ensino, pesquisa e extensão, a EBRAFIM e uma grande clínica de São José do Rio Preto/SP, CEFIS, uniram força para oferecer a alunos em Formação e pacientes atendidos o melhor em serviços de Fisioterapia e Osteopatia.

“Esta parceria é muito importante, pois mantém a clínica e seu corpo de Fisioterapeutas sempre ligados as novidades em saúde. Para nós, professores, os benefícios são muito claros também, pois podemos colocar nossos alunos em contato com a prática profissional, trazendo segurança e garantindo um trabalho realizado com excelência”, finaliza Bruno Moreno.

Saiba mais: www.ebrafim.com



Website: http://www.ebrafim.com
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »