05/09/2019 às 18h21min - Atualizada em 05/09/2019 às 18h21min

Concreto Rosa: força feminina na construção civil chega à Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo

Empresa de construção civil liderada por mulheres participa da mesa de abertura do evento e fará intervenção no Sesc 24 de Maio

Redação

Desde 2015, a Concreto Rosa promove inovação e diversidade no mercado de construção civil: na empresa liderada pela CEO Geisa Garibaldi, todos os serviços são prestados por mulheres. Primeira companhia deste tipo no Rio de Janeiro, a Concreto Rosa tornou-se referência em construção civil feita por mulheres e levará esta experiência para a 12ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, que acontece de 10 a 29 de setembro na capital paulista.

A Concreto Rosa conta com pedreiras, eletricista, pintoras, engenheiras e arquitetas. A mulherada faz de tudo: serviços de elétrica, hidráulica, alvenaria, pintura, revestimento de azulejo, jardinagem, mudanças, reparos domésticos em geral. Além disso, realizam oficinas de reparos e projetos de arquitetura e engenharia. 

Apostando na mão-de-obra feminina, a Concreto Rosa é testemunha e parte ativa do crescimento do mercado: de 2007 até o primeiro semestre de 2018, a participação de mulheres na construção civil aumentou cerca de 120%, chegando à marca de 239,2 mil trabalhadoras registradas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

A 12ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo é um dos mais importantes acontecimentos da arquitetura no mundo, e reúne profissionais e pesquisadores de diversos países. A CEO e fundadora da Concreto Rosa Geisa Garibaldi participará da mesa de abertura da Bienal junto com Fraya Frehse (antropóloga, São Paulo), Hélio Menezes (antropólogo e curador, São Paulo), Marta Moreira (arquiteta, São Paulo) e Andrés Jaque (arquiteto, Espanha), com mediação dos curadores do evento, Charlotte Malterre-Barthes, Ciro Miguel e Vanessa Grossman. “Vemos este convite como um reflexo do nosso trabalho, da inclusão que promovemos e do desenvolvimento de um nicho até então não explorado pela construção civil tradicional”, conta Geisa Garibaldi.

Além do debate no lançamento do evento, a participação da Concreto Rosa na 12ª Bienal Internacional de Arquitetura também inclui uma intervenção no espaço de convivência do Sesc 24 de Maio, que receberá materiais, fotografias e outros elementos de trabalhos da Concreto Rosa que evidenciam o caráter humano e afetivo das mulheres na construção civil. “As histórias pessoais de clientes atendidas pela Concreto Rosa, vivências, experiências, sentimentos do dia-a-dia serão compartilhados em áudio e vídeo, disponíveis ao público em tablets”, adianta Geisa.

A 12ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo tem como tema “Todo Dia”, e irá abordar como o cotidiano influencia a forma como os indivíduos moram, constroem e ocupam o espaço urbano. O evento acontece de 10 a 29 de setembro no Sesc 24 de Maio e tem entrada gratuita. Além da Concreto Rosa, outras intervenções ocuparão os espaços comuns do edifício: Adamo-Faidem (Argentina), Andrés Jaque/ Office for Political Innovation (Espanha / Estados Unidos), Andrés Sandoval (São Paulo, Brasil), Bruther (França), Edelaar Mosayebi Inderbitzin Architekten (Suíça), Universum Carrousel Journey - Studio Jan de Vylder (Bélgica), Vão (São Paulo, Brasil), Wellington Cançado (Belo Horizonte, Brasil) e Wolff Architects + Hélio de Menezes (África do Sul / São Paulo, Brasil).

CONCRETO ROSA: INOVAÇÃO E EMPODERAMENTO FEMININO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

O convite para a 12ª Bienal Internacional de Arquitetura se soma a outros importantes reconhecimentos da Concreto Rosa, como a Premiação CAU + Mulheres (Conselho Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro); a palestra no ColaborAmérica, maior evento de inovação da América Latina; participação no Festival Sesc de Economia Criativa, palestra na pós-graduação de Gestão de Negócios da Fundação Dom Cabral e participação no evento “Diálogo sobre a Agenda 2030 – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” no CCBB-RJ.

Estes reconhecimentos são fruto de uma história que começa em 2015, como uma iniciativa pessoal de Geisa Garibaldi, que após se formar em curso de Bombeira Hidráulica pelo Projeto Mão na Massa em parceria com o Senai, decidiu dedicar-se à área de construção civil como forma de sustento de sua família. “Na minha casa, minha mãe sempre fez de tudo e nos ensinou. Então eu já sabia a prática das atividades, mas faltava o certificado”, afirma Geisa. Nascia a Concreto Rosa. 

“Também notei que havia uma lacuna no atendimento a clientes mulheres. Não são raros os relatos de mulheres que passaram por assédio ou constrangimento na hora de contratar reforma e reparos domésticos”, avalia Geisa. “As clientes ficam mais confiantes de que não vamos enganá-las no serviço e se sentem mais confortáveis para nos receber em casa”, finaliza.

É o que atestam clientes como Carla V.: “Me mudei para o Rio de Janeiro, e meu marido ficou em Belo Horizonte. Não me sentia segura em contratar homens pois, já tive experiências negativas. Então, optei pela mão de obra feminina”. Luisa M., que contratou a empresa para serviços de elétrica e instalação de um ar-condicionado: “Eu contratei o eletricista, mas ele foi lesbofóbico comigo e minha esposa. Além disso, deixou o ar-condicionado cair da janela e não se responsabilizou pela queda”. A cliente Flávia L. também teve experiência parecida: “O encanador não se dirigia a mim, eu perguntava e ele não respondia. Contratei, paguei, comprei o material mas ele não falava comigo, apenas com o porteiro. Era como eu não existisse”

Geisa também reconhece o profundo impacto e a transformação social que a Concreto Rosa proporciona entre funcionárias, clientes e fornecedores: “Mais do que nossa atividade profissional, na Concreto Rosa exercemos a nossa autonomia feminina, inovando, gerando novas oportunidades de trabalho e uma nova narrativa para o mercado” afirma Geisa, que vem contribuindo para a mudança de um segmento historicamente dominado por homens.

SERVIÇO: CONCRETO ROSA NA 12ª BIENAL DE ARQUITETURA DE SÃO PAULO

Data: 10 a 29 de setembro de 2019

Local: Sesc 24 de Maio (Rua 24 de Maio, 109, República. São Paulo – SP)

Entrada gratuita

Mesa de abertura com Geisa Garibaldi: dia 10 de setembro, às 18 horas.

Intervenção da Concreto Rosa: durante toda a Bienal, no espaço de convivência do Sesc. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »