01/07/2019 às 17h04min - Atualizada em 02/07/2019 às 00h00min

21° Encontro discute ferramentas para a retomada do mercado de capitais

Maior evento de Relações com Investidores destaca privatizações e crescimento econômico

DINO


Criar melhores condições para a abertura de capital na Bolsa brasileira, desinchar o estado com o programa de privatizações - que já arrecadou US$ 12,9 bilhões -, extinguir o BNDESpar, enfrentar o desafio dos novos investidores, pessoas físicas, que já ultrapassam 1 milhão na B3, adotar o e.netBot para simplificar processos e eliminar custos de observância foram alguns dos temas tratados no 21° Encontro de RI e Mercado de Capitais, reunindo mais de 600 pessoas nos dias 26 e 27 últimos, em São Paulo. A estes, junte-se uma alta expectativa para a reforma da previdência e o aperfeiçoamento de mecanismos para facilitar a governança e o Fator ESG.

Em seu discurso de abertura, o presidente do Conselho Diretor da Abrasca-Associação Brasileira das Companhias Abertas, Alfried Plöger, elogiou a parceria com o Ibri-Instituto Brasileiro de Relações com Investidores, falou de tecnologia e, sobretudo, da redução dos chamados custos de observância, destacando as proposições do mercado, com destaque para o [Abertas+Simples] e a ferramenta e.netBot, ambas de iniciativa da Abrasca.

Desenvolver melhores condições para a realização de IPOs no Brasil é compromisso da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para este ano. Marcelo Barbosa, traduziu a agenda da autarquia, destacando o regime único de ofertas e a eliminação das "janelas de mercado", entre outros pontos. Ele também falou do número de regulados - só Fundos de Investimentos são 17 mil - e o desafio de gerir os mais de 1 milhão de pessoas físicas na Bolsa. "Eram 1 milhão em abril e agora em junho já são 1 milhão e 100 mil", disse o diretor de relacionamento da B3, Felipe Paiva, em outro painel.

PRIVATIZAÇÃO - O secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, foi uma das presenças mais aguardadas. Na mesma linha de raciocínio da Abrasca, discorreu sobre simplificações na economia. Mostrou, de forma condensada, algumas mazelas que, segundo ele, foram encontradas no início deste governo e prometeu acabar com o BNDESpar. Para ele, US$ 12,9 bilhões já foram arrecadados da meta inicial de US$ 20 bilhões. Na sequência, traduzindo em reais, disse que espera totalizar algo entre R$ 80 bilhões e R$ 100 bilhões, superando a proposta inicial.

Equilíbrio fiscal foi outro tema abordado, desta vez na palestra de encerramento do secretário do Tesouro, Mansueto Almeida. Otimista com a aprovação de "uma reforma robusta" da previdência, foi categórico ao afirmar que esta é fundamental, mas não se esgota em si mesma. "Precisamos de outras medidas sequenciais, como o cumprimento do teto de gastos públicos".

e.netBot - A Abrasca apresentou a ferramenta e.netBot para as companhias que se utilizam do sistema Empresas Net. "Em nosso teste inicial já vimos que é possível a economia de 20h/homem, no mês de maio", destacou Ricardo Garcia, gerente de Operações da Abrasca. O software trabalha no preenchimento de dados a ser enviados à CVM, como Formulário de Referência, DFs, Formulário de Governança, ITRs etc. Em experimentação por um grupo selecionado de empresas, deverá ser disponibilizado às associadas, gratuitamente, ainda neste mês. Educação financeira, Fator ESG - "em evolução nos últimos 10 anos", de acordo com os panelistas - e governança das estatais também foram discutidos nos dois dias de evento.

PESQUISA - Em painel específico, o presidente executivo do Ibri, Guilherme Setubal, apresentou a pesquisa Ibri-Deloitte, juntamente com Ronaldo Fragoso, diretor da consultoria. Do universo pesquisado (64 empresas, com maior liquidez na Bolsa), 25% das companhias aumentaram a área de RI em 2018, 71% mantiveram a estrutura e apenas 4% encolheram. "Como a regulação tem sido mais pesada e os investidores cobram muito as práticas sustentáveis, as áreas precisam estar preparadas para dar respostas", destacou Guilherme Setubal.

Edmar Prado Lopes Neto, presidente do Conselho de Administração do Ibri, por sua vez, lançou aplicativo do Instituto com o objetivo de entregar conteúdo exclusivo a todos os profissionais de RI. A ferramenta estará disponível para download no Google Play e na Apple Store e com o app será possível conferir as principais notícias do mercado, receber informações sobre as melhores práticas de especialistas da área, conferir vagas de emprego e ler guias da profissão.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »