09/04/2019 às 16h50min - Atualizada em 10/04/2019 às 23h32min

Jornal britânico indica cinco países na América Latina e no Caribe como destinos para visitar em 2019

México, Argentina, Cuba, Colômbia e Belize foram os países escolhidos pelo jornal britânico The Guardian na América Latina e no Caribe como sugestões de viagens aos seus leitores em 2019. A lista é publicada todos os anos pelo periódico reunindo indicações dos editores, reportagens especiais e eventos -- como a Copa do Mundo de futebol feminino, na França, por exemplo, que acontece de 7 de junho a 7 de julho.

O The Guardian indica vários lugares para se conhecer no México, começando pela casa de Frida Kahlo na região de Coyoacán, na capital do país, passando pelo local onde nasceu seu marido famoso, o artista Diego Rivera, em Guanajuato -- onde há um museu sobre a obra do filho ilustre -- até chegar ao festival Guelaguetza, em Oaxaca. Para o jornal, a grande nação norte-americana pode ser explorada a partir de suas cores.

"Dado que a tendência foi direcionada em parte pela obsessão moderna com Frida Kahlo, não há lugar melhor para criar um amor pelas cores do que o México, famoso por sua arte rica e vibrante", diz um trecho do texto.

Ao território argentino, o The Guardian recomenda que seus leitores comprem passagens para o começo de julho, quando um eclipse solar total vai poder ser observado em todo o Hemisfério Sul. O fenômeno também poderá ser visto do nordeste do Chile e da região central da Argentina, nas áreas desérticas de Pismanta e perto da cidade de Bellavista, na província de San Juan.

Como os hotéis da região já estão quase todos lotados para o período do eclipse, a alternativa é ficar em cidades maiores, como Buenos Aires, Córdoba ou Rosário e viajar nos dias que antecedem o fenômeno para assisti-lo no deserto. Para quem não conseguir chegar a tempo, a previsão é que outro eclipse total do sol aconteça na mesma parte do globo em 2020.

Já em Cuba, o The Guardian lembra que a capital do país, Havana, comemora 500 anos de fundação em 2019. Detalhes das celebrações ainda serão anunciados, mas a restauração de edifícios como o mercado Cuatro Caminos, fechado desde 2014, da Central Railway Station e da fortaleza Morro, do século 16, localizada na entrada da Baía de Havana, devem ficar prontas a tempo -- sem contar as reformas de espaços públicos e parques.

Negócios privados de pequena escala estão crescendo fortemente na cidade desde que o ex-presidente Raúl Castro afrouxou as regras comerciais, em 2016, com mais atividades para comer e sair, incluindo lojas, restaurantes, hospedagens privadas e danças de salão. O ano já começou bem: em janeiro, a cidade sediou o famoso La Habana Jazz Festival.

O jornal britânico aponta o Belize como um destino para esse ano por ser um "paraíso caribenho" mais acessível -- apesar do ator estadunidense Leonardo Dicaprio inaugurar seu resort de luxo, o Blackadore, ainda neste ano no país. "Apesar disso, o Belize pode ser facilmente explorado por viajantes independentes e com pouco dinheiro", diz o The Guardian.

Os pontos turísticos de Belize passam sempre pelo mar: as paredes verticais do monumento natural Gran Agujero Azul descem mais de 120 metros no fundo do oceano e, apesar de estar coberto até a metade por detritos e sedimentos naturais, é tão profundo que consegue criar uma perfeita circunferência azul escura em meio às águas claras -- que pode ser vista de forma exuberante do alto.

No interior do buraco, há um denso bosque de estalactites e estalagmites, assim como grupos de tubarões de arrecifes -- além de uma multidão de esponjas e invertebrados -- que acompanham os mergulhadores.

Já o arrecife Glover é o cartão-postal de Belize por excelência: formado por meia dúzia de pequenas ilhas banhadas por águas azuis, sua localização também ajuda: o arrecife está dentro de uma cadeia montanhosa submersa nas bordas da plataforma continental, o que se tornou nos últimos anos um destino comum para a prática do caiaque, tanto nas ilhas como nas águas mais profundas da lagoa central. Enquanto se rema, é possível observar raias, tartarugas e outras várias espécies de peixes tropicais.

Por último, a escolha pela Colômbia tem um lugar em específico: Los Llanos, uma vasta área plana tropical que fica quase na fronteira com a Venezuela e onde é possível ver crocodilos, capivaras, cobras, macacas e uma série de aves exóticas. "A região está se abrindo lentamente ao turismo, mas a estrutura pobre e as raras opções de acomodação ainda tornam o lugar difícil de explorar", afirma o jornal. "No futuro, Los Llanos vai rivalizar com o Pantanal brasileiro como o melhor lugar da América do Sul para se observar a vida selvagem", conclui.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »