28/03/2019 às 15h16min - Atualizada em 30/03/2019 às 12h03min

Cascavel forma governança para desenvolver vertical agritech

Empresas, instituições de ensino e pesquisa, entidades e empreendedores do agronegócio estão se unindo, em Cascavel, para a criação de uma governança com foco na temática agritech, termo que une o trabalho no agronegócio às tecnologias e tendências de mercado. A conexão destes atores, coordenada pelo Sebrae/PR, começou os trabalhos durante o Show Rural Coopavel 2019 e começa a aglutinar competências para trazer a Cascavel soluções que possam agregar valor ao produto do campo e ajudar no desenvolvimento regional. 

“Essa discussão já existe há muitos anos, mas ainda não tínhamos um grupo formatado para planejar e executar ações que possam melhorar a qualidade do agronegócio regional. Por isso, as reuniões feitas durante o Show Rural, especificamente, na nossa Carreta de Negócios, montada no espaço do Show Rural Digital, foram essenciais para chegarmos a um termo comum, que é a necessidade da criação dessa governança para que possamos ter mais inovação, tecnologia e resultados para a nossa região”, introduz o consultor do Sebrae/PR, Emerson Durso. 

Inicialmente, o grupo já conta com a participação de 32 pessoas. Eduardo Luvison, por exemplo, é empreendedor. Em Cascavel, ele está à frente do Forfarms Coworking, o primeiro escritório coletivo com foco no agrobusiness do Paraná. Para ele, a criação da Governança Agritech surge num momento importante da região. 

“A interação desses players irá gerar muitos benefícios, como a diminuição do conflito de agenda de eventos e da promoção de ações similares isoladas, além de maximizar o volume de iniciativas conjuntas, gerando oportunidades de negócios. A governança também poderá aumentar o nível de informação, divulgação e sucesso das ações e eventos; criar um ambiente favorável a novos negócios, novos empreendedores e, consequentemente, mais oportunidade ao agro regional, estimulando a classe jovem, despertando interesse, surgimento e identificação de novos talentos e recursos humanos na área”, enumera o empresário. 

Conexão Agritech
Os primeiros encontros realizados ainda são um ensaio para a formação da governança, porém, de acordo com Emerson Durso, são passos importantes para que os interessados no assunto possam entender os objetivos do grupo e, também, inspirar-se em ações que já são consideradas exemplos  de sucesso. 

“Durante a última reunião do grupo, realizada em março, trouxemos o George Hiraiwa, da SPR Valley, de Londrina. Ele demonstrou o exemplo da transformação digital dentro do agronegócio na região norte. Os casos de integração entre agro e tech apresentados ao grupo possibilitaram a geração de ideias que poderão ser aplicadas na nossa região”, destaca o consultor do Sebrae/PR. 

Carlos Schulze, diretor técnico da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundetec), de Cascavel, acredita que a governança é uma oportunidade que deve ser aproveitada.  “Essa ação que o Sebrae/PR está articulando é importante porque converge as pontas da área agritech. Precisamos aproveitar o impulso do Show Rural Digital para agarrar a oportunidade de termos todos atores reunidos e discutindo soluções e propostas para garantir ainda mais o fortalecimento não só da governança, mas do desenvolvimento da agritech na região oeste”, pontua. 

Em Londrina, por exemplo, a SRP Valley já possui um ecossistema formatado com mais de 80 empreendimentos, sendo que 16 startups e 8 empresas são aceleradas pelo SRP agritech. Com a governança da área em Cascavel, a intenção é alcançar números similares, fortalecendo o ecossistema de inovação no agronegócio e reunindo os principais atores para que soluções sejam discutidas e aplicadas na região. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »