28/03/2019 às 20h24min - Atualizada em 28/03/2019 às 20h24min

TRF-2 condena Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi por crimes apurados pela Operação Cadeia Velha

Picciani pegou 21 anos; Paulo Melo, 12 anos e 10 meses e Albertassi, 13 anos e 4 meses. Decisão ocorre no mesmo dia em que Bretas condenou, em 1ª instância, Jacob Barata, Felipe Picciani e mais 9 com base na mesma investigação da Lava Jato.

Redação

A Primeira Seção Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região condenou, na tarde desta quinta-feira (28), os ex-deputados estaduais do MDB Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi por crimes investigados na Operação Cadeia Velha - desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro. Cinco desembargadores votaram pela condenação e nenhum, contra.

Albertassi e Picciani foram denunciados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Paulo Melo foi o único que não foi condenado por lavagem de dinheiro. Os três poderão recorrer da decisão proferida nesta quinta pelo TRF-2.

  • Jorge Picciani - 21 anos de prisão
  • Paulo Melo - 12 anos e 10 meses
  • Edson Albertassi - 13 anos e 4 meses

A decisão é do relator do processo, o desembargador Abel Gomes. Ele também pediu a manutenção da atual prisão preventiva. Até agora os presos já cumpriram 1 ano, 4 meses e 12 dias de pena. Picciani cumpre prisão domiciliar por decisão do STF.

O revisor do processo, o desembargador Messod Azulaye, e outros três desembargadores acompanharam o voto do relator.

A decisão do TRF2 ocorre no mesmo dia em que o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, condenou o empresário Jacob Barata, o Rei dos Ônibus, e mais 10 pessoas por diversos crimes apurados pela força-tarefa da Lava Jato na Operação Cadeia Velha.

O processo de Picciani, Melo e Albertassi foi julgado em segunda instância porque, como deputados, eles têm foro privilegiado.


Com a decisão desta quinta-feira:

  • Jorge Picciani foi multado em R$ 11 milhões, Paulo Melo em R$ 7 milhões e Albertassi em R$ 6 milhões;
  • Acusados ainda podem recorrer, com embargos de declaração em relação a todos os pontos e embargos infringentes apenas em relação aos pontos divergentes, nos votos dos desembargadores;
  • TRF-2 manteve as prisões cautelares. Picciani permanece em prisão domiciliar;
  • A execução provisória da sentença só acontecerá a partir do julgamento em segunda instância, que, no caso, será o STJ;
  • A decisão também deixa os três deputados inelegíveis por 8 anos;
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »