18/05/2012 às 23h54min - Atualizada em 18/05/2012 às 23h54min

Jucazécaju conta as aventuras do jacaré que se descobre dragão

Adaptação do livro As Asas do Crocodilo, de Gilles Eduar, a peça é a segunda encenação infantil da Cia Circo Mínimo e tem direção de Carla Candiotto (prêmios FEMSA e APCA na categoria de Melhor Direção). A montagem utiliza técnicas circenses aliadas ao teatro para envolver o público do universo infantil a partir de 3 anos

Arteplural - foto: Paulo Barbuto

História do escritor e ilustrador Gilles Eduar, As Asas de Crocodilo é adaptada para os palcos como Jucazécaju por Carla Candiotto e Rodrigo Matheus. Diretora e atriz, ela ganhou os prêmios FEMSA 2011 Por Histórias por Telefone e APCA 2011 por Histórias por Telefone, A Volta ao Mundo em 80 Dias e Sem Concerto - ambos na categoria de Melhor Direção. Ator, ele é o fundador da Cia Circo Mínimo. Utilizando técnicas de circo aliadas ao teatro, a Cia Circo Mínimo apresenta o espetáculo no Teatro Alfa, a partir de 26 de maio. Em cena, os atores Cafi Otta, Luciana Menin e Manoela Rangel dão vida a três jacarés.

Segundo espetáculo infantil da Cia Circo Mínimo (o primeiro deles é o premiado João e o Pé de Feijão), Jucazécaju é “um grande estímulo para a retomada dessa investida pelo universo dos espetáculos infantis que podem ser apreciados por toda a família”, conta Rodrigo Matheus, fundador da companhia.

Indicado para crianças a partir de três anos, o espetáculo tem ficha técnica de peso. O cenário e figurino são de Marco Lima, a trilha sonora é de Helio Ziskind e Ivan Rocha e a luz é de Wagner Freire. A peça desperta o interesse das crianças, sobretudo pelos movimentos de circo. Reforçando o universo lúdico de Jucazécaju, a Cia Circo Mínimo se empenha em sua habilidade de contar histórias utilizando-se especialmente de técnicas aéreas.

 

Sinopse
Em uma de suas viagens, Jucazécaju encontra duas jacaroas que moram em um lago. Em um dia de pescaria, Juca fica irritado, pois não consegue comer nenhum peixe e está com muita fome. Bravo, solta fogo pela boca.

Com medo, suas amigas fogem e Juca fica chateado, resolvendo, então, partir rio abaixo. É aí que encontra Tuiuiuda, uma passarinha mestre de Capoeira. Ela o aconselha a usar suas novas habilidades, o fogo e as asas, ensinando-o a voar e não ter medo de ser o que realmente é. Jucazécaju é um dragão e agora, encorajado por Tuiuida, volta para reencontrar seus amigos, que estão sendo atacados por caçadores. E só Juca pode salvá-los.


Montagem e direção

“Quando Rodrigo me convidou para dividir a adaptação com ele, eu estava lendo uma matéria de desmatamento da Amazônia em que os tocos das árvores eram transportados pelos rios. A foto era um rio cheio de madeira cortada. Eu tive a ideia do cenário na mesma hora. Pensei em fazer os jacarés ficarem em cima dos dois tocos, em homenagem aos milhares que foram embora”, conta Carla Candiotto, que agora também integra a equipe de comediantes do programa Saturday Night Live, da Rede TV, além de manter a dupla Cia Le Plat du Jour (ao lado de Alexandra Golik).

Portanto, o cenário assinado por Marco Lima conta com dois tocos pendurados, onde dormem os jacarés. E também com um lago, usado como picadeiro. O cenógrafo usa, ainda, técnicas para trazer o nascer e o pôr-do-sol e o nascer da lua ao universo infantil.

“Este é um momento que eu, como diretora, quero dividir com as crianças. Quero que elas vejam que o sol nasce, o sol se põe, a lua chega. Quero que os pequenos entendam que as coisas têm um ciclo”, conta Carla. Contribui também para esses efeitos, um ciclorama - tela no fundo do cenário, curva para efeito de perspectiva - criado pelo iluminador do espetáculo, Wagner Freire.

Jucazécaju nasceu mais doce e menos ácido do que os outros espetáculos do repertório de Carla Candiotto, que ano passado dirigiu as peças pelas quais ganhou prêmio – Sem Concerto, Histórias por Telefone e A Volta ao Mundo em 80 Dias, além dos espetáculos fixos do Le Plat du Jour (Alice no Pais das Maravilhas, Peter e Wendy e Chapeuzinho Vermelho, entre outras).

“Ele tem um ritmo mais calmo do que as rápidas comédias. A peça tem uma história simples, livre de muitos conflitos. Eu e o Rodrigo Matheus deixamos tudo claro para as crianças pequenas entenderem, acompanharem e se divertirem. Caso os pequeninos não entendam alguma passagem, prendemos a atenção pelos movimentos circenses”, conta a diretora.

A trilha sonora, assinada por Helio Ziskind e Ivan Rocha, contribui para que as crianças entrem no universo do Jucazécaju. “Ela é sutil, bem doce. A trilha pontua, ajuda, dá cor”, diz Carla.

 

O circo contando história

Mais uma vez a técnica circense aliada ao teatro é utilizada para contar uma história para crianças. “O circo faz com que a história ganhe vida e as crianças acompanhem o Juca. A técnica circense está na medida certa. As crianças precisam vivenciar a trajetória do personagem. E a sutileza do circo que estamos usando faz com que as crianças não tenham medo dos personagens caírem das cordas, por exemplo.”

“O público fica estarrecido por causa dos movimentos, que deixam a peça ainda mais lúdica. O Jucazécaju faz malabares, anda de monociclo, brinca com seus amigos”, tudo para contribuir com a história doce e leve do espetáculo.

 

FICHA TÉCNICA

De Gilles Eduar. Adaptação: Carla Candiotto e Rodrigo Matheus. Direção: Carla Candiotto. Elenco: Cafi Otta, Luciana Menin e Manoela Rangel. Cenário e figurino: Marco Lima. Iluminação: Wagner Freire. Trilha sonora: Helio Ziskind e Ivan Rocha.

 

Serviço – Jucazécaju – Teatro Alfa

Recomendado para crianças a partir de 3 anos. Temporada: de 26 de maio a 15 de julho, sábados e domingos, 17h30. Local: Teatro Alfa – Sala B – Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Sto. Amaro (Tel. 5693.4000). Lotação: 200 lugares. Duração: 50 minutos. Preço: Crianças até 12 anos: R$15,00; Adultos: R$30,00. Como Comprar: Os ingressos dos espetáculos promovidos pelo Instituto Alfa de Cultura no Teatro Alfa estarão à venda sempre com 15 dias de antecedência.

 

Por Telefone: 5693-4000 e 0300-789-3377 (Serviço exclusivo do Teatro Alfa)

Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, MasterCard e Diners Club), de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h. Em dias de eventos até 1 (uma) hora antes do início dos mesmos. Os ingressos poderão ser retirados no próprio teatro no dia do espetáculo. Obs.: Sem taxa de conveniência.

 

Pessoalmente – Bilheteria do Teatro Alfa

Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, MasterCard, Diners Club), cartões de débito (Visa Electron e Redeshop) ou dinheiro, de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 18h. Em dias de eventos até o início dos mesmos. Site: www.teatroalfa.com.br. Estacionamento: Vallet: R$12,00 e Self: R$8,00.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »