31/01/2018 às 17h15min - Atualizada em 03/02/2018 às 23h28min

5 DICAS PARA FACILITAR A VOLTA ÀS AULAS DAS CRIANÇAS

A volta às aulas é um momento de mudança na vida das crianças, seja devido à rotina escolar que começará novamente e os pequenos terão que deixar o conforto de suas casas diariamente, ou então porque é o início de um novo ciclo e alguns estarão adentrando ao ambiente escolar pela primeira vez.
 
De acordo com Karin Kenzler, psicóloga e orientadora educacional do Colégio Humboldt, instituição bilíngue e multicultural (português/alemão), localizada em Interlagos, em São Paulo, algumas dicas que podem auxiliá-los são: “ajude seu filho a organizar o material, separar o uniforme, encoraje-o, mostre ou retome as coisas que são legais e significativas, o quanto será prazeroso reencontrar ou conhecer novos amigos”.
 
Abaixo, ela compartilha cinco dicas para que as famílias se organizem e retomem a rotina escolar.
 
1-Traçar objetivos para o ano letivo:
 
Pensar em metas para o ano letivo como fazer as lições em dia, estudar com antecipação para as provas, passar direto, fazer novos amigos, é o passo inicial para a realização de qualquer projeto.
 
A família propor se reunir e se ajudar, perguntando ao filho quais as expectativas para o ano, é vista como uma iniciativa bem saudável, algo compartilhado, pois não é só responsabilidade da criança ir bem na escola. “É uma iniciativa positiva a família se reunir para que cada membro compartilhe suas expectativas e planos para ao ano, motivando a criança a fazer o mesmo. A discussão é válida, pois aquece para o tema escola que está por vir e cria um clima favorável ao sucesso.”
 
2-Voltar à rotina de forma gradual:
 
Não deixar para voltar de viagem na véspera da volta às aulas, para que a criança tenha tempo de se organizar e voltar à rotina de dormir e acordar mais cedo.
 
Para o aluno retomar a rotina do contexto escolar, a dica é voltar de uma viagem de férias dois dias antes. “Se a família programa uma viagem, antecipar o retorno em dois dias auxilia a criança a retomar o ritmo e a organizar o horário, de forma gradual. O aluno também deve tentar dormir sempre mais cedo nesses dias”.
 
3-Cuidar da organização do material:
 
A compra e organização do material também é uma atividade que ajuda no processo de volta às aulas, preparando o aluno psicologicamente para a retomada dos estudos.
 
Focar na organização do material escolar, mala, lancheira e uniforme como se estivesse se preparando para uma partida de futebol, auxilia a retomada de forma animada, além de encorajar e motivar a criança. “É como num pré-jogo, em que atletas fazem pensamento positivo e bolam sua estratégia: neste ano, vou tentar fazer lição, estudar com antecipação, dar o máximo de mim...”, diz Karin.
 
4-Fazer um planejamento das atividades:
 
Fazer uma agenda semanal com os horários das aulas e atividades extracurriculares separando também, tempo para os estudos, lazer e esportes, e um calendário mensal para inserir as datas de provas, entrega de trabalhos, eventos e feriados.
 
O ideal é fazer uma agenda semanal dos filhos, para que todos compartilhem o que a família vai fazer, pois a criança não tem a noção de tempo como um adulto tem. Com um planejamento semanal do dia a dia e um mensal, a família consegue se programar ao longo do ano com férias, viagens, passeios e provas. “Tudo o que programamos tem mais chances de dar certo e é possível fazer ajustes ao longo da jornada, além de todos ficarem sabendo como vai o andamento das atividades de cada um. Isso gera menos ansiedade e todos se ajudam também”, indica a orientadora educacional.
  
5-Cuidar do emocional das crianças e adolescentes:
 
Conversar e checar os sentimentos da criança em relação ao ano escolar permite trabalhar eventuais ansiedades e medos, assim como balizar expectativas e buscar motivações.
 
É preciso estar ao lado da criança e transformar o momento de ansiedade em um momento gostoso e agradável. Os pais devem questionar como a criança está para começar mais um ano, se está animada, motivada ou apavorada, e trabalhar suas expectativas e angústias de acordo com o estado emocional. “É importante que a família converse a respeito das emoções para que a criança esteja preparada física e psicologicamente para fazer frente às exigências escolares”, diz Karin. 

Recompensa e ameaças: “Cobranças como “se você tirar nota azul, te dou um iPhone”, colocam mais expectativa na criança podendo gerar muita ansiedade. A motivação não deve vir por meio de recompensa, mas sim, pelo próprio benefício do aprendizado e aquisição de conhecimentos que será significativo pela vida afora e futuro sucesso profissional. Ela precisa entender que é capaz de dar conta, e de que a aprendizagem é um processo contínuo na vida”, completa Karin.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »