18/05/2024 às 13h10min - Atualizada em 20/05/2024 às 20h01min

Rua Unida: A revolução da Arte Urbana

Feito por: Alice Lopes, Camila Brasilino, Filipe Godoy e João Carlos

FILIPE GODOY
Filipe Godoy, João Carlos, Alice Lopes e Camila Brasilino
Filipe Godoy
cultura de rua em São Paulo é um fenômeno que vai além das paisagens urbanas, é um eco dos anseios, das lutas e da resiliência de uma comunidade diversa que se entrelaça nas vielas e avenidas. Quem participa ativamente desse movimento sabe a complexidade desse sentimento que emana das ruas,como: Deco Farkas; Don Gordon MC; Gustavo Menezes. Dentro desse contexto urbano multifacetado, a cultura de rua emerge e resiste por uma única razão. A união da rua.
Reflexo disso, é o artista independente Deco Farkas que compartilha sua jornada de descoberta da cultura de rua, que o ajudou a superar medos e a sair da zona de conforto. Sua experiência destaca a capacidade dessa expressão artística em unir experiências diversas e proporcionar uma visão ampla do mundo, independentemente da origem. “Funcionou para mim de uma forma que parecia um remédio, sabe?”
“É um lugar onde as pessoas estão ali para ouvir sobre você, sobre sua verdade. É um espaço de puro sentimento, o que torna o Slam tão especial para mim.” diz Gustavo Menezes, conhecido artisticamente como Menzi. Um jovem poeta de Guarulhos que encontrou na cultura de rua um espaço acolhedor de expressão através das rodas de Slam, onde é incentivado a compartilhar sua verdade de forma aberta e sem julgamentos.
Reforçando a ideia de coletividade, independentemente da área artística, a rua permanece como um ambiente acolhedor e solidário. Menzi e Deco Farkas, embora compartilhem experiências artísticas distintas, destacam a receptividade da cultura de rua para qualquer pessoa se envolver, ser acolhida e, além disso, para compreender melhor o movimento, no entanto, somente ao participar ativamente é que se pode compreender verdadeiramente o sentimento envolvente desse ambiente.
Além das poesias e pinturas, a cultura de rua está mais do que presente nas batalhas de rimas, onde a união é um dos fundamentos para a realização do evento, a parceria entre MC ́s, organizadores, apresentadores e público é essencial para realizar todas as semanas.
O mestre de cerimônia de batalhas de rimas na zona leste e dentre outras espalhadas por São Paulo, Luiz Furtado, conhecido pelo seu nome artístico Don Gordon MC, já apresentou mais de 120 edições de diversas batalhas, ele compartilha sua visão sobre o papel das batalhas e sobre as dificuldades enfrentadas ao organizar as batalhas, e se não fosse a união entre quem participa nada seria possível. “A gente tem a responsabilidade de financiar, algo que muitas vezes a gente podia estar tendo a ajuda do governo. A gente está realmente levando informação, levando cultura semanalmente para quebrada, sem ganhar nada, sem cobrar nada...” Destacando a autossuficiência desse evento, que se mantém graças a união colaboradora entre Mc ́s e público.
Além disso, ele menciona um incidente no qual uma caixa de som emprestada teve uma peça danificada, resultando em um desentendimento com o proprietário. Consequentemente, a organização teve que comprar a caixa danificada, dividindo o custo entre os membros. Don Gordon ainda ressalta o sacrifício financeiro de um dos integrantes, que contribuiu mesmo enfrentando dificuldades financeiras, chegando ao ponto de ter sua água cortada por falta de pagamento, tudo em prol do movimento das batalhas de rimas.
O esforço conjunto dos organizadores, que dedicam tempo e recursos pessoais, destaca a paixão e a dedicação ao movimento. Esses relatos ressaltam a importância do movimento cultural e revelam o papel essencial das organizações locais na promoção da cultura, mesmo diante das adversidades eles lutam juntos para se manter.
Neste contexto diversificado, a união das ruas se destaca como o elo que une almas urbanas. Artistas como Deco Farkas, influenciados pela descoberta pessoal da arte de rua, e jovens talentos como Menzi, veem na cultura urbana uma maneira de superar desafios e encontrar um espaço para expressão e pertencimento, as dificuldades enfrentadas por Don Gordon na organização e apresentação das batalhas de rimas destacam ainda mais a essência verdadeira da coletividade.

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
FILIPE JAAZIEL DE SOUZA GODOY MARTIRES
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp