10/12/2013 às 10h53min - Atualizada em 10/12/2013 às 10h53min

Compra de seguidores e curtidas podem ser um péssimo negócio.

Por: Fabiano de Abreu

Fabiano de Abreu Rodrigues

Estamos na era das redes sociais, parece que a vida normal deu espaço para a vida virtual e as pessoas buscaram nisso uma aceitação, essa busca por aceitação cria a necessidade de ser visto, nas redes sociais isso ocorre com curtidas (pessoas curtirem o que escreveu ou sua página dedicada a você ou sua empresa, fun page) ou em seguidores (pessoas que seguem seu canais para ver suas atualizações), existem as empresas que estão usando como marketing de baixo custo, sendo vistos por um número maior de pessoas sem gastar muito com uma publicidade, as pessoas públicas, que utilizam deste meio para mostrar estar sendo visto e valorizar seu trabalho, há empresas que contratam “modelos” e estas usando o argumento de ser “famosa”, ou seja, pessoas populares com muitos seguidores,  dependendo do número de pessoas que te seguem, pode ser interessante para a imprensa publicar e ser um gancho para a fama (Casos mais raros).

Visando este mercado, hackers, crackers, nomes dados a programadores habilidosos (mas não necessariamente disciplinados), hackers tendem a ter reduzida atividade social e se encaixar no estereótipo do nerd. Suas motivações são muito variadas, incluindo curiosidade, necessidade profissional, vaidade, espírito competitivo, patriotismo, ativismo ou mesmo crime. Hackers que usam seu conhecimento para fins imorais, ilegais ou prejudiciais são chamados crackers. Esses criaram meios de conseguir seguidores e curtidas, e são diversas as formas, nem todas ainda divulgadas, isso se tornou um comércio, pessoas normais comprando desses indivíduos e obtendo de lucros revendendo como um comércio, e os compradores são essas pessoas que almejam ser ‘populares’ ou serem ‘vistos’.

Em um comércio em que redes sociais como Facebook por exemplo, vende publicidade para que obtenha mais curtidas em sua rede social, esse tipo de comercialização seria um crime? O que acontece é que nada é tão fácil como se parece, geralmente essas curtidas e seguidores são fakes, (“falso” em inglês) é um termo usado para denominar contas ou perfis usados na Internet para ocultar a identidade real de um usuário, exatamente, são usuários que não existem, alguns até mesmo não possuem fotos, outros fotos roubadas da internet, o que seria crime, e alguns até se dedicam a colocar uma pequena história de vida, nada que não seja perceptível ao acompanhar, existem também os duplicados, triplicados, pessoas criando vários perfis e colocando as mesmas informações, são inúmeros os meios que os fakes arrumam. Então, ás vezes, o que parece ser um bom negócio pode ser um péssimo negócio, contratantes, pessoas que avaliam seguidores e curtidas dessa pessoa “famosa”, popular, estão avaliando seus seguidores, avaliam curtidas, e o que seria pior do que ter um perfil com milhões de seguidores fakes, seria uma prova de que poderia ser algo comprado, burlando assim o processo natural, quem sabe até mesmo tirando méritos daquele que possui realmente fãs reais que admira seu trabalho ou a pessoa em si. Mas a epidemia de se conseguir seguidores continua, e as pessoas compram também as curtidas, camuflando assim o fato de ter muito seguidor e ninguém curtir suas postagens, analisando os seguidores que podemos avaliar a veracidade da sua ‘popularidade’


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »