24/06/2016 às 16h40min - Atualizada em 24/06/2016 às 16h40min

Poços Artesianos e Semi Artesianos estão entre as soluções para fugir da seca e para driblar a crise hídrica que atinge diversas regiões do Brasil

Débora Ramos
iStock

A busca por disponibilidade de água é um desafio enfrentado pelas pessoas desde as mais antigas civilizações. Por volta do ano 5 mil a.C, os chineses começaram a executar perfurações subterrâneas, buscando encontrar água a grandes profundidades. Hoje em dia, com os avanços das técnicas de perfuração de poços artesianos, utilizar essa estratégia é um recurso bastante viável para milhares de brasileiros, que sofrem com a falta de água ocasionada pela seca ou pela má gestão feita pelo governo dos recursos hídricos.

 

As empresas que executam a tarefa de construir poços contam com uma tecnologia bastante elaborada. Após perfurarem a superfície, é preciso que os técnicos avaliem a pressão exercida fisicamente: ela pode ser forte o bastante para fazer com que a água chegue até a superfície – caso contrário, será preciso que se instale uma bomba submersa. No segundo caso, o poço fica conhecido como semi artesiano.

 

A água que fica disponível aos usuários a partir da abertura da superfície provém dos aquíferos, reservas de água formadas pela infiltração da água das chuvas nos terrenos. Essa água fica depositada entre pedras e sedimentos subterrâneos e vai naturalmente sendo filtrada, tornando-se limpa e utilizável, inclusive, para diversas funções domésticas. Em alguns casos, no entanto, recomenda-se a instalação de filtros para retirar as impurezas.

 

Se o poço for construído em regiões que apresentam rochas com baixo potencial de recarregar e armazenar a água, o nível de água nos poços pode cair e os poços podem até secar. Caso sejam construídos de forma correta, com a profundidade ideal, dificilmente secarão. Por isso, é essencial observar as indicações de especialistas no assunto para que se verifique a capacidade do subsolo do terreno em oferecer água. A manutenção dos poços também se faz essencial, já que é a melhor forma de garantir seu funcionamento por mais tempo. A limpeza das tubulações e bombas também é muito importante para eliminar acúmulos de sedimentos que dificultam o bombeamento.

 

A utilização da água que vem do subsolo está bastante em alta em diversas regiões, especialmente naquelas em que a seca é um grave problema. Por terem um diâmetro razoavelmente pequeno e serem de simples construção, os poços são eficientes na relação custo-benefício – ou seja, o proprietário investe uma quantia inicial que rapidamente é compensada pelas facilidades dos poços tubulares.

 

Para abrir um poço artesiano em residências, condomínios ou comércios, é preciso que os interessados solicitem permissão ao órgão responsável pelo abastecimento hídrico de cada região. Além disso é preciso observar as normas técnicas exigidas e os documentos necessários. Basta consultar as exigências no site das respectivas empresas. A extração de água por meio dos poços acaba por reduzir a pressão e a demanda pelo serviço público de abastecimento, baseado majoritariamente em mananciais localizados na superfície. Além disso, aumenta a segurança das pessoas com relação à presença de água em casa, sendo assim uma solução interessante.


No entanto, as águas subterrâneas não são uma fonte inesgotável, por isso devem ser preservadas. A exploração desenfreada desse recurso é responsável por sobrecarregar diversos aquíferos, e a perfuração incorreta pode também contaminá-los. Por isso, o ideal é que se conheça as reservas antes de executar a perfuração do solo – e também é preciso saber gerenciar o uso dessa água.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »