09/05/2012 às 00h26min - Atualizada em 09/05/2012 às 00h26min

Carinho de mãe pode transmitir cárie

Estudos comprovam que a mãe é a principal fonte de transmissão de bactérias bucais para os bebês, aumentando as chances de desenvolverem cárie e outros problemas bucais. Isso pode ser prevenido com hábitos corretos e cuidados odontológicos voltados à mãe e filho. Este e outros temas estarão no maior congresso internacional de pesquisa em Cariologia, Orca 2012, que acontece em Cabo Frio (RJ) em junho. É a primeira vez que o evento ocorre na América Latina

Edita Comunicação Integrada

Mesmo coberta de carinho e boas intenções, a mãe pode transmitir ao seu bebê bactérias bucais que causam cárie, aumentando as chances dele desenvolver a doença na infância e na vida adulta, entre outros problemas decorrentes dela. Essa transmissão ocorre pela saliva, portanto, algumas das primeiras recomendações são não compartilhar talheres com o filho, não assoprar sua comida, nem beijar sua boca.

A importância da prevenção já nesta idade é reforçada por dados do Ministério da Saúde mostram que, no Brasil, crianças de 18 a 36 meses já têm em média um dente cariado, sendo que no Sudeste, a ocorrência de cárie nesta faixa etária é de 31% a 39% e no Nordeste pode atingir 97%.
A cirurgiã-dentista e pesquisadora Sonia Groisman afirma que hoje já existem diversas medidas odontológicas que previnem efetivamente a transmissão destas bactérias. O tratamento do bebê deve começar pelos cuidados com a saúde bucal da mãe, já na gestação, e continuar após o parto para os dois, garantindo benefícios em saúde e qualidade de vida que serão levados para toda a vida. “O atendimento odontológico de zero a três anos de idade, quando realizado com frequência de quatro vezes ao ano, mostra declínio de cárie de 69%”, diz a pesquisadora.

Sonia preside o 59º Congresso da European Organisation for Caries Research (Orca), o maior encontro científico internacional nesta área, que acontece de 27 a 30 de junho em Cabo Frio (RJ).
Além dos cuidados já conhecidos em higiene bucal, o controle de consumo de açúcares, profilaxia dental e aplicação tópica de flúor, Sonia recomenda ações adicionais no consultório para diminuir o nível salivar de bactérias da cárie na mãe, reduzindo, assim, as chances de transmissão. É indicada a aplicação de gel de clorexedina (antimicrobiano), entre outros tratamentos que inibem a progressão da doença.

Já para o bebê, o ideal é que as visitas ao dentista sejam combinadas com as visitas ao pediatra, antes mesmo do surgimento dos primeiros dentes de leite. Após a erupção dos dentes, a criança pode receber aplicações de verniz de flúor e/ou de clorexedina, entre outros. A correta orientação da mãe pelo cirurgião-dentista também é fundamental, inclusive para motivá-la a cuidar de sua própria saúde bucal.

Orca 2012 – O 59º Congresso da European Organisation for Caries Research (Orca) é o mais importante evento do mundo em pesquisa em Cariologia e este ano acontece pela primeira vez no Brasil e na América Latina, de 27 a 30 de junho em Cabo Frio (RJ). O evento é presidido pela cirurgiã-dentista e pesquisadora brasileira Sonia Groisman (foto), pós-graduada em Cariologia e Periodontia pela Universidade de Lund (Suécia) e professora associada da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FO/UFRJ).

O objetivo é apresentar o conhecimento das pesquisas clínicas científicas sobre as causas, diagnóstico, tratamento e prevenção da cárie dental, para que o cirurgião-dentista possa utilizar na sua atuação diária em consultório, assim como subsidiar novas pesquisas. O congresso tem o apoio do Conselho Regional de Odontologia do Rio de Janeiro (CRO-RJ), da FO/UFRJ e das prefeituras de Cabo Frio e de Arraial do Cabo.

Mais informações:
www.orca2012.com e www.orca-caries-research.org


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »