27/02/2023 às 12h09min - Atualizada em 28/02/2023 às 00h01min

Melhoramento genético na pecuária passa pela identificação individual de bovinos

Melhoramento genético na pecuária passa pela identificação individual de bovinos

SALA DA NOTÍCIA Irvin Dias Costa de Souza Garcia
A contínua evolução da produtividade na pecuária depende da adoção de tecnologias que estão surgindo em maior escala. Como ocorre na agricultura, modernidade e inovação têm sido cada vez mais empregadas na gestão dos rebanhos bovinos nas diversas regiões do Brasil, cujo plantel é de 224,6 milhões de cabeças, segundo os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Uma dessas tecnologias é o tronco de contenção – equipamento que contém o animal com segurança, evitando práticas ultrapassadas, proporcionando conforto e contribuindo para a eficiência e lucratividade do negócio. Essa tecnologia é útil em diversos procedimentos, como castração, coleta de sangue, vacinação, aplicação de medicamentos, inseminação artificial, verificação de prenhez, tratamento de cascos, exames e dezenas de atividades, inclusive a identificação individual dos animais.
“O pecuarista que faz a identificação individual dos seus animais deixa de trabalhar no que chamamos de ‘achismo’ e passa a usar dados para avaliar o desempenho zootécnico. Isso resulta em maior confiabilidade das informações geradas na fazenda, o que incontestavelmente melhora o processo de tomada de decisão”, destaca Fraine Alessio, zootecnista da Coimma.
Ao identificar o gado, o pecuarista avança no controle das características produtivas e reprodutivas de cada ‘indivíduo’, além de receber informações sobre os manejos já realizados. Esse procedimento também possibilita a rastreabilidade, facilitando diversos processos, como localização, ganho de peso, histórico sanitário e outros.
Todas as informações coletadas devem ser passadas de forma precisa para o sistema de gerenciamento, seja ele um software ou uma planilha de controle. “Isso é muito importante, pois informações inconsistentes ou registros imprecisos levam a erros nas análises econômicas e nas avaliações genéticas”, diz a zootecnista.
Na pecuária, convivem diversas formas de marcação dos animais. “Seja qual for o método adotado, é necessário destacar que, para evitar erros, lesões e outras dificuldades no procedimento, o uso do tronco de contenção é imprescindível”, salienta Fraine.
Para viabilizar a realização de procedimentos como a identificação de bovinos, a Coimma – empresa líder no mercado de troncos e balanças para pecuária – colabora com pecuaristas do Brasil e de outros países com modernos equipamentos de contenção. “As pescoceiras emborrachadas, almofadas laterais e amplo acesso do colaborador ao animal, características dos nossos equipamentos, são diferenciais que facilitam os procedimentos diários nas fazendas, incluindo a marcação”, comenta a especialista.
Tronco hidráulico da Coimma, o Megatron foi desenvolvido para proporcionar ainda mais conforto, produtividade e eficiência para os animais. Ele inclui assoalho antiestresse, diversas janelas de acesso, portão lateral, dispositivo castrador e portão protetor de coice, recursos que contribuem para procedimentos cada vez mais seguros e com bem-estar. Afinal, como explica a zootecnista, “o pecuarista que não identifica seus animais não obtém progresso genético contínuo em seu rebanho, pois não tem controle dos índices zootécnicos. Dessa forma, fica impossível ser assertivo nas decisões”.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp