25/09/2012 às 01h00min - Atualizada em 25/09/2012 às 01h00min

Escova progressiva sem formol

É possível ter cabelos lisos e sedosos sem correr riscos.

Andréa Guedes

Isso mesmo! O resultado da progressiva sem formol é ainda melhor. Segundo a visagista e hairstylist do i9 HAIR, Claudia Soares os produtos com formol retiram da parte interna do fio ( de dentro para fora) a queratina mais nova. Nesse método as madeixas ficam brilhantes, mas essa queratina não se refaz. O cabelo também fica impermeável, a coloração não pega e o shampoo e o creme não agem com eficiência. O fio quebra, o couro cabeludo fica oleoso e o PH fica desestabilizado. Já os produtos sem formol têm efeitos muito desejados. Eles alisam e tratam ao mesmo tempo, dão elasticidade, brilho, força e movimento ao fio. “Hoje, desde que o produto seja de qualidade e o profissional gabaritado, dá para fazer de tudo, relaxamento, progressiva, coloração e luzes, sem danifica-lo”, revela Claudia Soares.

Desmistificando tudo que se dizia anteriormente. A profissional alerta que a cliente tem que ter consciência e adotar cuidados na rotina, como utilizar shampoo e condicionador de boa qualidade, máscara capilar semanalmente, um bom live-in com protetor térmico e fazer hidratação mais profunda, pelo menos 1 vez por mês no salão. “ Quando for usar a prancha tome cuidado! Use sempre um live-in especifico, seque o cabelo e depois passe live- in em spray para utilizar a prancha”.

Em alguns casos a progressiva alisa apenas 70%. Em cabelos crespos recomenda-se associar ao relaxamento. “É importante tomar cuidado com ativos das formulas (progressiva e relaxamento). Eles podem não ser compatíveis e causar estragos”, orienta. A hairstylist exemplifica. “Relaxamento a base de hidróxidos ou amônia não são compatíveis com carbocisteina. O cabelo fica maravilhoso se tiver relaxamento com hidróxido ou amônia e depois colocar carbocisteina, só que jamais use novamente o hidróxido ou amônia depois do uso da carbocisteina. Existe uma incompatibilidade e caso arrisque, o cabelo cai todinho. Caso queira relaxar e depois usar a carbocisteina, siga usando somente ela. Esqueça dos hidróxidos ou amônia. Existem outras opções possíveis, como a progressiva a base de ácido lático ou fenoxetanol (derivado da cana de açúcar). Esse último é muito usado na indústria cosmética brasileira, mas se tornou conhecido recentemente devido à proibição do formol.

De acordo com a profissional do i9 HAIR, a durabilidade desse procedimento é de aproximadamente 3 meses. Após esse período é aconselhado o retoque por causa do crescimento da raiz.

i9 HAIR
Rua José Maria Lisboa, 208 – Jardins, São Paulo
Tel.: 11 2364 9664| www.i9hair.com.br
De terça-feira a sábado, das 10h às 22h

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »