30/01/2023 às 21h52min - Atualizada em 11/02/2023 às 00h04min

Volta ás aulas para crianças com Mutismo Seletivo

Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, Elisa Neiva Vieira, fala sobre as dicas e desafios para lidar com o Mutismo Seletivo no início do período letivo.

SALA DA NOTÍCIA Bueno Imprensa e Comunicação
http://mutismoseletivobrasil.com.br/
Divulgação Elisa Vieira
O Mutismo Seletivo (MS) é definido como um transtorno de ansiedade, no qual a criança apresenta incapacidade de falar e se comunicar em ambientes sociais selecionados, dados do DSM – 5 (APA, 2014) mostram que a prevalência do transtorno de mutismo seletivo varia entre 0,03 e 1% da população, desenvolvendo-se principalmente entre crianças de 3 à 5 anos, podendo persistir até a idade adulta. Geralmente, há um espaço de tempo considerável entre o momento em que o MS se manifesta e quando ele é diagnosticado, isto porque, ele somente é reconhecido quando a criança entra na escola, por volta dos cinco anos de idade, sendo este um dos motivos da dificuldade de se fazer o diagnóstico preciso do início do MS.

Elisa Neiva Vieira, é psicóloga clínica formada pela Puc Campinas e pós-graduada pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. Há 26 anos a especialista em Terapia Cognitivo Comportamental se dedica ao estudo e trabalho com crianças, adolescentes e adultos com Mutismo Seletivo, sendo fundadora do Instituto Mutismo Seletivo Brasil para atendimento especializado a este transtorno de ansiedade. Em suas redes sociais Elisa Vieira afirma que, “crianças com Mutismo Seletivo normalmente não se comunicam na escola, entretanto, elas tendem a se comunicar perfeitamente em ambientes em que elas se sentem confortáveis, como em suas casas”.

As análises de casos clínicos e a literatura sobre o Mutismo Seletivo sugerem que estas crianças “querem”, mas não “conseguem” falar, portanto, alguns cenários são considerados extremamente amedrontadores para elas, tais como, festas, a escola e encontros familiares. Assim, voltar às aulas após o período de férias pode ser um processo complicado tanto para a criança ou adolescente com Mutismo Seletivo, quanto para os pais e professores. A psicóloga Elisa Vieira, cita: "É fundamental que a escola permita que os pais entrem com os filhos no espaço escolar, antes das aulas iniciarem. Estratégias comportamentais precisam ser definidas entre a família, o psicólogo e a escola para que a criança obtenha segurança”.   

O Instituto Mutismo Seletivo Brasil, administrado pela especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, Elisa Vieira, oferece ainda um guia psico-social direcionado aos educadores e às escolas, chamado GPS. Este guia, segundo Elisa, “pode beneficiar várias crianças e escolas”. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp