31/01/2023 às 15h12min - Atualizada em 31/01/2023 às 16h05min

Testes feitos pelo fonoaudiólogo, na maternidade, garantem saúde e bem-estar do bebê

Exames da orelhinha e da linguinha avaliam saúde auditiva e do frênulo lingual de recém-nascidos e auxiliam detecção precoce de doenças

SALA DA NOTÍCIA AIs Comunicação e Estratégia
https://www.aiscomunicacao.com.br
Os exames obrigatórios realizados ainda na maternidade, logo após o nascimento do bebê, são de enorme importância. Indiscutíveis, eles previnem que doenças fatais – ou que causem atrasos no desenvolvimento biopsicossocial das crianças – sejam detectadas precocemente, diminuindo os impactos negativos à qualidade de vida da criança. Dois deles, em especial, ligam-se aos aspectos comunicacionais e alimentares dos bebês, e já são rotina nos centros médicos de todo o país.
O teste da orelhinha é, talvez, um dos testes mais populares nas maternidades. Realizado de forma gratuita e obrigatória, a Triagem Auditiva Neonatal detecta possíveis problemas de audição no recém-nascido. A fonoaudióloga e Conselheira do Conselho Regional de Fonoaudiologia da 3ª Região (CREFONO3), Cláudia Giglio explica que o profissional da área tem papel fundamental na detecção, diagnóstico e intervenção precoce quando alguma anormalidade é detectada.
“O teste é rápido e não oferece qualquer incômodo ao bebê. Ele é realizado através de um equipamento que emite sons que estimulam a cóclea, um órgão auditivo, e captam as respostas, oferecendo um panorama sobre a saúde auditiva do bebê. Ele é realizado após 48h do nascimento, mas antes de mãe e bebe receberem alta do centro médico. Caso não seja feito ali, os pais podem procurar um especialista para fazer o exame até 28 dias após o nascimento”, detalha a especialista.
Em termos globais, surdez atinge cerca de 0,1% dos nascidos em grau severo ou profunda, de acordo com dados da Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Por isso, a detecção precoce da audição é fundamental para possibilitar uma reabilitação mais eficiente do bebê.
“Quando algum problema é detectado no teste da orelhinha, o bebê passará por exames complementares que confirmarão ou não o diagnóstico. Caso ele esteja mesmo com problemas auditivos, o bebê é será encaminhado para um programa de intervenção, com diagnóstico completo, indicação de prótese auditiva ou implante coclear), orientação da família e reabilitação, com início de terapia fonoaudiológica”, explica Cláudia.
Ter boas condições de audição é fundamental para o desenvolvimento, da linguagem oral e fala, assim como facilitar a aprendizagem. Nesse sentido, outro teste que contribui para o bom desenvolvimento do bebê é o teste da linguinha, também obrigatório, que avalia o frênulo lingual dos recém-nascidos como forma de prevenir a anquiloglossia, popularmente conhecida como língua presa.
Como explica a fonoaudióloga, Talita Todeschini, conselheira do Conselho Regional de Fonoaudiologia (CREFONO 3), o problema é um dos principais causadores do desmame precoce. “Tanto a anquiloglossia quanto a detecção de um frênulo curto ou anteriorizado identificam situações que podem comprometer a amamentação. Além disso, mais tarde, com a iniciação da alimentação sólida, tais crianças podem ter a mastigação prejudicada por não conseguirem lateralizar adequadamente a língua”, indica a especialista.
Outros problemas também são detectados com o exame. “O frênulo curto pode interferir no correto funcionamento do sistema estomatognático: sucção, mastigação, deglutição e a fala ficam prejudicadas” resume a fonoaudióloga.
Assim como o teste da orelhinha, o teste da linguinha é realizado pelo fonoaudiólogo. Detectada uma anormalidade no teste, caso seja necessária a intervenção cirúrgica, ela é realizada na própria maternidade, antes da alta hospitalar. “A frenotomia objetiva garantir saúde e bem-estar à criança. Ou seja, é absolutamente fundamental”, resume explica a fonoaudióloga, Talita Todeschini.

SOBRE O CREFONO3
O Conselho Regional de Fonoaudiologia - 3ª Região (CREFONO3), atuante no Paraná e em Santa Catarina, constitui, em conjunto com o Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa), uma autarquia federal. É responsável por zelar pelo cumprimento das leis, normas e atos que norteiam o exercício da fonoaudiologia, a fim de proteger a integridade moral da profissão, dos profissionais e dos usuários diretos.
Ao zelar pelo exercício regular da profissão, o CREFONO3 protege o fonoaudiólogo daqueles que exercem inadequadamente ou ilegalmente a profissão, além de proporcionar melhores condições para que a população tenha um atendimento adequado ao consultar o profissional.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp