18/01/2023 às 11h00min - Atualizada em 19/01/2023 às 00h01min

Portaria do MAPA determina descarte de ovos trincados nas granjas. O monitoramento eletrônico ajuda a evitar perdas

Os ovos trincados sujos poderão ser utilizados como matéria-prima para fabricação de produtos destinados à alimentação animal, desde que previsto em norma específica

SALA DA NOTÍCIA Fernanda de Souza Martins

A Portaria 612/2022, da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), determina requisitos para instalações, equipamentos e procedimentos necessários para granjas avícolas e unidades de beneficiamento de ovos e derivados registrados no Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA). “O texto inclui medidas importantes para a avicultura, como atualizações em relação à portaria anterior (1/1990), que estava em vigor há mais de 30 anos, e, principalmente, sobre beneficiamento dos ovos”, explica a nutricionista Mônica Aoyagi, consultora técnica de avicultura da MCassab Nutrição e Saúde Animal.

Entre as mudanças na legislação, destaque para os ovos trincados, que anteriormente podiam ser utilizados e agora devem ser descartados. O artigo 14 da nova portaria diz que “os ovos trincados sujos devem ser imediatamente descartados ou, quando não for possível o descarte imediato, devem ser quebrados em recipiente, devidamente identificado, de forma a garantir o destino apropriado desses, sendo vedada sua utilização para a alimentação humana e diretamente na alimentação animal. Os ovos trincados sujos poderão ser utilizados como matéria-prima para fabricação de produtos destinados à alimentação animal, desde que previsto em norma específica”.

Mônica Aoyagi explica que os ovos trincados que aparecem na ovoscopia – observação do ovo a partir da contraposição à luz – ou no pós-processamento surgem em razão de diferentes fatores, incluindo número e níveis de impactos/choques que ocorrem, e fazem parte das diferentes etapas de processamento. “Sabemos que fatores relacionados as aves tem impactos também em relação a riscos de perdas, as aves mais velhas tendem a gerar ovos com casca mais fina e, portanto, mais suscetível à quebra, como também há ainda fatores relacionados ao estresse, ocasionado pela ambiência deficiente, desafios sanitários, além do qual a própria nutrição também tem papel relevante nesse processo”, alerta a especialista.

A consultora técnica da MCassab recomenda acompanhamento personalizado para ajudar os produtores avicultores a minimizar perdas de ovos trincados, como manda a nova portaria. “A MCassab oferece o ‘Programa M’egg de Qualidade’, que faz diagnóstico 360 graus da granja por meio de um conjunto de ações e ferramentas realizado em diferentes níveis para contribuir para a garantia de qualidade. Entre as fases do programa, o ‘ovo eletrônico’ possibilita verificar pontos críticos da granja até a sala de ovos, identificando impactos e criticidade para minimizar os prejuízos no processamento e no beneficiamento dos ovos”.

O “M’egg” acompanha as rotinas da granja, oferecendo diversos serviços, como formulação personalizada, análise de qualidade da ração, acompanhamento zootécnico, qualidade dos ovos, redução de perdas e diagnóstico total.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp