21/02/2012 às 23h55min - Atualizada em 05/05/2012 às 23h55min

Glenda Kozlowski decepciona na transmissão do Carnaval 2012

O fundamental é o telespectador acompanhar o samba e obter informações sobre o enredo apresentado.

Fabio Maksymczuk

Olá, internautas

Carnaval 2012 vive a sua reta final. Rede Globo, SBT, Band, RedeTV! e TV Cultura  cobriram o evento que marca a cultura brasileira. A Record, escape para os telespectadores que fogem da festividade, obteve bons momentos nos últimos dias. A emissora da Barra Funda conquistou a liderança nos índices de audiência com o “Domingo Espetacular” e até com a reprise de “Rei Davi”. A Rede Globo com a transmissão das escolas de samba do Rio de Janeiro perdeu fôlego no IBOPE da Grande São Paulo.

Nos últimos anos, a emissora platinada priorizou a divulgação das agremiações paulistanas em detrimento às cariocas na grade de programação paulista. Antigamente, trechos dos sambas-enredo de Mangueira, Imperatriz, Mocidade e companhia apareciam nos intervalos comerciais em São Paulo. Isso não mais acontece.

Além disso, a Rede Globo não atinge o mesmo patamar da saudosa Rede Manchete que, de fato, sabia cobrir o Carnaval.  É só acompanhar a irritação de muitos telespectadores nas redes sociais. No twitter, Glenda Kozlowski ganhou a campanha Cala a boca, Glenda. De fato, a jornalista ficou um tom acima do ideal. Falou mais do que o necessário. Até mesmo o locutor Luis Roberto teve que cortar a companheira, em alguns momentos, para comandar a transmissão. Já Ana Paula Araújo mostrou toda a sua elegância e viveu bons momentos na cobertura. Apesar disso, a equipe de comentaristas acrescentou em nada. Tanto no Rio quanto em São Paulo. Não ocorreram comentários consistentes. Só elogios e mais elogios.

Mais uma vez, repito: o fundamental é o telespectador acompanhar o samba e obter informações sobre o enredo apresentado. Só isso. O resto é encheção de linguiça.  A dupla Cleber Machado e Mariana Godoy funcionou muito melhor em relação a Luis Roberto e Glenda. No entanto, insistem com Mauricio Kubrusly que, no Orkut, ganhou a alcunha de “urubuzento” por só falar do cronômetro.

Já o SBT, que servia como opção ao público anti-Carnaval, insistiu com a festa de Salvador. A Band, idem. A folia de Salvador, Recife e Olinda não é de contemplação, mas altamente “participativo”. Quem gosta desse tipo de Carnaval, não fica em casa em frente ao televisor. Fala mais alto a conquista dos patrocinadores.

A RedeTV! continuou com a tradicional “cobertura dos bastidores”. Neste ano, quem roubou a cena foi Dr. Rey. O chamado “Dr. Hollywood” analisava as passistas. Comentava sobre o corpo das belas mulheres. Em determinado momento, uma delas foi aprovada e ganharia um “selo” nas nádegas. A moça se abaixou para receber o “veredicto”. Dr. Rey disparou: “Vai acordar minha anatomia!”. Safadeeenho. “Nível classe A”.

A TV Cultura exibiu o desfile das escolas de samba do Grupo de Acesso de São Paulo. Cunha Junior comandou a transmissão.

PS: sobre os fatos lamentáveis que ocorreram na apuração do Carnaval de São Paulo, o apresentador José Luiz Datena, no “Brasil Urgente”, defendeu a Polícia. Disse que os policiais cumpriram sua função. É brincadeira? Um rapaz entra no palco, rasga as cédulas  e sai sem ninguém fazer absolutamente nada. Depois, integrantes da Gaviões da Fiel depredam o que veem pela frente nas ruas da cidade. Cadê o efetivo policial? Outras pessoas incendeiam carro alegórico na dispersão. O jornalista Flavio Prado sintetizou bem a situação na Rádio Jovem Pan: “Foram frouxos”.

Fabio Maksymczuk

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »