26/09/2014 às 07h15min - Atualizada em 26/09/2014 às 07h15min

Marcello Thadeu

Ator

Thiago Santos

 Thiago Santos: Qual foi o grande imperativo na sua infância, que o inspirou na escolha desta incrível arte da interpretação?

 Marcello Thadeu: Desde pequeno sempre gostei de ler e escrever histórias que eu mesmo criava em desenhos e frases, como num livro. Essas eram minhas brincadeiras de infância. Sempre fui muito precoce e preferia a companhia dos adultos aos de meninos e meninas de minha idade e então logo cedo me apaixonei por cinema, por Hollywood e seu glamour, e pelas novelas e séries de TV. Sendo assim, logo tratei de correr para o teatro, visando  desenvolver esse meu lado criativo, a princípio em teatrinho de escola e depois para os mais pós-graduados. Não foi fácil! Ainda não está sendo, mas, estou mais focado hoje em dia.

 

 Para o ainda menino Marcelo Thadeu, o que representou toda ousadia e criatividade nas geniais histórias do mestre Monteiro Lobato?

 Tudo! Monteiro Lobato fez parte de toda minha infância. Sonhei em ser um personagem do Sítio do Pica Pau Amarelo, durante anos e anos da minha vida. Confesso que ainda hoje os assisto em casa para matar a saudade. O Sítio era uma porta de imaginação muito fértil para qualquer criança naquela época. Aprendi também muito sobre mitologia, história, ciências e outras coisas mais, que ainda hoje lembro com exatidão. Fabuloso!

 

 Me fascina a ação humana no que diz respeito... Jamais se render na luta por aquilo que se ama.

 Quem espera um dia alcança. Tenho certeza disso... Os motivos que me fizeram desistir num período difícil da minha vida, não foi nem de longe o desgosto pela arte, pelo contrário, me senti até frustrado por não ter meios e nem recursos de ter levado adiante esse sonho com mais perseverança quando ainda era muito jovem; mas no fim a arte gritou mais alto dentro de mim, e mesmo que eu tenha ficado parado durante tanto tempo, ainda acredito que tenho muito a fazer.

 Felizmente o Brasil está apoiando a arte através de várias políticas de apoio a cultura. Isto significa mais oportunidades para os artistas em todos os sentidos e em todos os âmbitos.  Desistir agora, jamais!

 Conheço atores que conseguiram chegar ao sucesso e realização profissional, numa melhor idade. Quando Deus quer,  nada se torna impossível e no final, se eu somente conseguir críticas, me considerarei vitorioso por ter chagado a elas. Pois para ser criticado, significa que tentamos e tentamos com muita perseverança, realizar os nossos sonhos. E isso eu sempre faço!

 

 Ainda jovem foi preciso de sua parte se despedir dos seus sonhos, ainda que por um momento. Dito isto. Como, sua alma se sentiu naquele momento?

 Dilacerada. Cheguei a pensar que havia errado quanto a  minha vocação. E resolvi dar tempo ao tempo e entregar nas mãos de Deus, todo meu futuro.

 

 Todas as sementes plantadas em prol da arte lhe fizeram provar de um saboroso fruto, neste caso, seu primeiro prêmio, como melhor ator?

 Nossa, nem sei o que dizer quando isso ocorreu. Agora mesmo escrevendo me veio um arrepio total em todo o meu corpo, só em lembrar este momento. Nunca achei que pudesse ganhar, ainda mais quando eu nem era o personagem principal. Era o antagonista e a obra se chamava: Uma Morte Mal Anunciada.

 Nunca me senti seguro em fazer humor e confesso que não me sinto a vontade. Porém, esse primeiro prêmio veio para tirar de vez minhas inseguranças sobre o meu lado humorístico. Depois disto cheguei a ganhar mais dois prêmios e todos ligados ao humor.

 Ganhar um prêmio, não quer dizer que você atingiu todos os "UP´s" necessários. Pelo contrário, você passa a ser mais cobrado por aquilo que lhe deram e tudo isso para honrar a premiação. Também não significa que você é o melhor, ou  o "BAM-BAM-BAM". Significa que naquele dia, você atuou bem e mereceu as honras dos jurados em questão, contudo, isso não significa que no dia seguinte você irá atuar o mesmo papel com tanta maestria. Uma apresentação nunca é igual a  outra. Então se eu ganhei, foi por que neste dia me superei, mas ainda não me considero um vencedor. Estou bem longe entregar a mim mesmo, um prêmio!

 

 Para a sua pessoa, um personagem, é e sempre será aquele irmão querido, que se trata com todo o carinho possível?

 Com certeza! Um irmão, um filho. Um grande amor em nossa vida. Todo personagem que vivo, eu procuro tratá-lo com respeito, dedicação e o faço da melhor forma possível, até o fim. As vezes recebemos aplausos, as vezes críticas... Mas de qualquer forma  nunca se agradará  a gregos e troianos de uma só vez.

 

 Acontecimentos importantes?

 Conhecer a Companhia Teatral Chimarreando Na Arte da Alegria, foi um deles, por ter aberto as portas para mim e essa parceria cooperou para que eu ganhasse, dois prêmios como melhor ator. Ao interpretar o personagem “Ofélia” em “Uma Morte Mal Anunciada”, e no ano seguinte com a continuação desta comédia que foi “O retorno de Onofre”. Nestas duas apresentações interpretei o mesmo personagem.

 Outro momento importante se deu ao ter sido apresentado para a produtora Sol Produções Artísticas, onde fiquei durante mais ou menos um  ano em cartaz com o musical “ O Milagre do Sol”, e neste espaço aprendi importantes lições, como, noção de técnicas vocais e me aprofundei então nos estudos dramáticos, já que o  espetáculo era um drama. Lá ainda participei de outro drama que se chama 2034 - A Era do Caos, e  foi maravilhoso.

 Não posso deixar de falar da companhia Capa, onde me abriu portas para diversos trabalhos infantis. Ali pude mostrar o meu lado criança e também tive um crescimento fora do comum através dos novos aprofundamentos técnicos no canto e na dança. Trabalhar com crianças, não tem preço. Esse é o público mais sincero que existe.

 E o grupo “Palhaçadaria”, onde tive o privilégio de ganhar meu terceiro prêmio como melhor ator no Festeatro, graças ao personagem “Julieta”, outra comédia. Atualmente conquistei o espaço de entrar para Telemilênio, onde participo de séries e filmes.  Também estou conquistando outro espaço na Rstone Produções. Num belo projeto para este ano e que vai decolar rumo ao sucesso.

 

 Para finalizar nos fale sobre os seus projetos atuais e futuro!

 O teatro me toma muito tempo, mesmo assim, amo o palco e os aplausos, isto me faz muito bem.

 Recebi um convite  para retornar aos palcos(não posso  divulgar ainda), e estou sendo avaliado. De qualquer forma faço parte da companhia Capa, onde pretendo retornar as atividades. E atualmente estou me dedicando as séries e filmes que já havia citado acima, com a Telemilênio, faço “ Suburbanda” e “Perigosos”, que estão no ar no;  Cine Brasil Tv, assim como o filme “Dalila,Louca”, direção de Victor Neves. O lançamento ser neste ano.

 Rstone Produções, na qual faço parte do elenco da série “Angelo”.

 Outro momento que me trouxe muitas alegrias foi o convite a mim feito através dos meus amigos Claudio Alvarez e Renato Rocha. Com esse trabalho volto a comédia e com a prefeitura de Mesquita, onde estamos rodando o longa-metragem  “Sonhos Partidos”, sob a direção de Kapella. Enfim, estou com a agenda meio apertada para este final de ano.

 Aproveito para expressar meus sinceros agradecimentos, em especial para o senhores Fernando Tenório de Araújo e Adriana Candida. Estendo minha gratidão a Prefeitura do Rio de Janeiro. Pelo fato de que no ano de 2013, honram meu trabalho através de uma bela homenagem, fechando com chave de ouro, ao citarem a seguinte frase: Ao Grande Ator Marcello Thadeu! Ver meu nome sendo citado desta forma me fez sorrir e o mais importante, ali pude compreender  que as escolhas que fiz ao longo de minha carreira, não foram em vão e isto alegrou meu coração.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »