05/04/2021 às 09h06min - Atualizada em 05/04/2021 às 08h50min

Expansão das lojas virtuais e os impactos na economia do Brasil

Com impactos na saúde, educação, economia e outros setores, a pandemia da covid-19 mudou drasticamente o modo como as pessoas vivem e enxergam o mundo. 

Obedecer às orientações de isolamento se tornou necessário para a diminuição das taxas de contágio e consequentemente a redução de mortes no país. Por outro lado, essas restrições afetaram e continuam afetando em grande escala a economia do país. Muitas empresas se adaptaram à situação com o home office e a criação de lojas virtuais, amadurecendo seu lugar no mercado digital. Contudo, algumas fecharam suas portas ou tiveram grandes prejuízos.

As medidas adotadas tornaram o mundo mais virtual do que físico. Isso gerou diversas mudanças no comportamento do consumidor, que agora está sempre procurando meios de adquirir produtos sem precisar sair de casa. Além disso, ele está mais cuidadoso ao realizar compras pela Internet. Mesmo nessas circunstâncias desfavoráveis, esse mercado apresentou um crescimento expressivo: a expansão do e-commerce no país chegou a mais de 40%. Portanto, entender e se adequar às transformações que o mundo está passando se tornou fundamental para a sobrevivência de grandes e pequenas empresas. 

Impactos da Pandemia na economia Brasileira

O vírus SARS-CoV-2, mais conhecido como coronavírus, trouxe uma pandemia em escala global que resultou em grande impacto na saúde e em outros âmbitos, como o da economia, que já abordamos na introdução.

Essa mudança gerou muitas dúvidas sobre a economia brasileira, além do medo de uma possível recessão. Houve aumento nos dados de desemprego e pequenas empresas entraram em crise. Pesquisas mostram uma retração nunca vista antes e o PIB nacional apresentou uma das suas piores quedas em 24 anos.

Apesar de pesquisas apresentarem números e resultados negativos, é possível analisar um lado positivo em relação ao mercado brasileiro. Quem soube se adaptar durante esse período, conseguiu manter seu quadro de funcionários e até mesmo expandir seus negócios.

Com as medidas de isolamento social, muitas empresas adotaram o home office a fim de manter seus colaboradores ativos e evitar prejuízos a longo prazo.

Devido aos decretos de fechamento e diminuição do horário de funcionamento do comércio local, outros empreendedores decidiram investir no comércio eletrônico, o que resultou na expansão das lojas virtuais.

Mudanças no comportamento do consumidor

O consumidor também se adaptou à situação. O isolamento social em conjunto com outras medidas de contingência do vírus, levaram as pessoas a mudarem seus hábitos de consumo.

Segundo uma pesquisa realizada pela Nielsen, houve um aumento no interesse do consumidor por produtos relacionados à saúde e alimentação. O estudo também revelou em seus resultados a diminuição da procura por lojas físicas e o aumento de compras em e-commerces.

Mesmo com a abertura do comércio local, o consumidor continua realizando compras online. Isso ocorre porque as pessoas continuam não querendo se expor ao contágio do vírus e também devido à descoberta da comodidade de receber seus produtos sem a necessidade de deslocamento. Com a expansão das lojas virtuais, essa forma de efetuar compras se tornou mais acessível.

Não há dúvidas de que o consumidor se tornou mais cauteloso ao realizar compras online. No entanto, ele não deixou de comprar. No Brasil, com o benefício do auxílio emergencial e facilidades do aplicativo da Caixa para realizar compras online, quem antes nunca havia utilizado este recurso, começou a aderir a essa modalidade de consumo. 

Expansão das lojas virtuais e os impactos na economia

O e-commerce brasileiro apresenta um crescimento acelerado de forma evidente nos últimos anos. Segundo uma pesquisa realizada pela PayPal junto com a BigData Corp, a expansão das lojas virtuais no Brasil chegou a marca de mais de 1 milhão de sites no ar.

O covid-19 acelerou a entrada de muitos empreendedores no mercado digital e o investimento de divulgação em mídias sociais. A pandemia também fez com que muitos daqueles que foram afetados em seus empregos  iniciassem seu próprio negócio por meio das plataformas de e-commerce

Esse cenário pandêmico causou um impacto negativo na economia brasileira, mas com a expansão das lojas virtuais e suas facilidades, como o pagamento online, evitou-se que o consumidor não deixasse de comprar. Embora não tenha salvado o país de uma crise econômica, as vendas pela internet garantiram que essa crise não apresentasse prejuízos ainda maiores. No cenário pós-pandemia, esse mercado é um dos que continuará crescendo e contribuindo para a recuperação da economia do Brasil.

Antes da pandemia, para sobreviver no mercado, já havia a necessidade de integrar seu negócio físico ao digital. A pandemia fez com que esse passo fosse acelerado. Isso foi feito pensando no consumidor e em sua mudança de comportamento de compra durante o isolamento social. Empresas que possuíam lojas virtuais, começaram a investir ainda mais em recursos para facilitar as compras online. 

Vantagens do Investimento no e-commerce

Como abordado no tópico anterior, a chegada da pandemia fez com que as empresas se sentissem obrigadas a investir no comércio eletrônico. Quem soube se adaptar à situação garantiu vendas e lucros em meio a uma grande crise econômica.

Citando novamente a pesquisa realizada pela PayPal Brasil e a BigData Corp, é possível verificar nos dados desse estudo que 88,77% das lojas virtuais brasileiras recebem cerca de até 10 mil acessos mensais. Trazer um grande número de consumidores até a sua loja é uma vantagem lucrativa para o negócio de quem está enfrentando as desvantagens do  isolamento social. 

Outra vantagem do investimento no e-commerce também está entre os dados dessa pesquisa. Ela revela que 76,67% das lojas virtuais tem produtos com valores abaixo de R$100. Afinal, produtos com valores acessíveis à condição atual do consumidor tendem a aumentar o volume de compra. Esses preços são possíveis devido ao baixo custo de investimento inicial para quem deseja se tornar um empreendedor digital.

As mídias sociais são outro benefício da estratégia de e-commerce. Cerca de 68,63% das lojas virtuais usam mídias sociais para atrair consumidores ao seu negócio online. Se antes as pessoas costumavam acessar a internet diariamente, a quantidade de acesso diário às redes sociais, como Facebook e Instagram, aumentou significativamente durante a pandemia. Com isso, veio a necessidade dos empreendedores fortalecerem sua presença nesse cenário. 

Através do marketing nas mídias sociais, o consumidor consegue encontrar de forma mais rápida seu produto, a qualquer hora do dia. Esse recurso aumenta o número de vendas online e contribui para a comodidade do consumidor. 

Pesquisa realizada pela PayPal e BigDataCorp.

 
Link
Lucas Widmar Pelisari

Lucas Widmar Pelisari

Descobrindo o Marketing Digital, dicas de como aumentar tráfego orgânico e otimização no posicionamento de domínios perante motores de busca

Relacionadas »
Comentários »