17/03/2012 às 23h46min - Atualizada em 05/05/2012 às 23h46min

"CQC" e "A Liga" perdem com saída de Rafinha Bastos

Na estreia da terceira temporada, Débora Vilalba sobressaiu na condução da reportagem.

Fabio Maksymczuk

Olá, internautas

Nesta semana, a Rede Bandeirantes exibiu as novas temporadas de “CQC” e “A Liga” com algumas novidades. As duas atrações não contam mais com Rafinha Bastos. “A Liga”, principalmente, perdeu força sem o comando do humorista/jornalista. Para tentar cobrir a ausência, agora a atração conta com Lobão e Cazé.

Nesse primeiro programa, a violência doméstica apareceu como tema principal. Lobão abordou transeuntes pelas ruas de São Paulo (até no Parque Buenos Aires, em Higienópolis – São Paulo. Pertinho de casa..), após passarem por um casal de atores que simulavam uma briga feia. Já Cazé entrevistou Maria da Penha, mulher que luta pelos direitos das mulheres.

Lobão e Cazé passam a imagem de “alternativos”. Cazé com aquela barba mais parece um integrante do Taleban! Mesmo com o visual completamente desgrenhado, Cazé conseguiu ocupar o seu espaço no programa, fato que não ocorreu com Lobão. O ideal é a formação do quarteto composto por duas mulheres e dois homens. Além disso, Lobão e Cazé compartilham o mesmo ângulo dentro da proposta de “A Liga”.

Na estreia da terceira temporada, Débora Vilalba sobressaiu na condução da reportagem. Mostrou toda a sua sensibilidade na abordagem policial a um homem casado há 27 anos que enfrenta o problema do alcoolismo.

Já no “CQC”, Oscar Filho é o novo integrante da bancada do programa. De fato, o comediante foi o melhor da trupe ao dividir a apresentação com Marcelo Tas e Marco Luque, mas não possui a mesma força de Rafinha Bastos.

Para substituir Danilo Gentili, a atração aposta no humorista Ronald Rios. O estilo desengonçado e até a barba lembraram Gentili. Precisa construir sua própria identidade. Já Mauricio Meirelles ainda busca seu espaço na atração, fato que também ocorreu no início de Monica Iozzi na atração da Band. Oscar, Mauricio e agora Rios fortalecem o lado humorístico do “CQC”. São profissionais do humor stand up. Na minha visão, o programa deveria ter investido mais em jornalistas que tivessem o humor como “tempero” nas reportagens.

Fabio Maksymczuk

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »