03/09/2014 às 02h38min - Atualizada em 03/09/2014 às 02h38min

Carol Moreira

Atriz, Bailarina, Coreografa e Diretora da empresa Onix Elenco.

Thiago Santos

Thiago Santos: Você não esperou o tempo passar, mas, logo cedo, iniciou em sua paixão maior!

 Carol Moreira: Creio que me entendi no mundo através da Dança. Iniciei minhas aulas de Ballet Clássico com 5 anos de idade e desde então nunca mais parei de dançar. Hoje, com 38 anos, vejo que se não fosse essa paixão que move minha alma e meu corpo talvez não teria conseguido passar por vários momentos complicados com tanta determinação pois com a Dança aprendi a ter disciplina, equilíbrio, ritmo, a enfrentar desafios e descobrir os meus limites. Tudo que na vida precisamos obter para seguir em frente com paciência, foco e força.

 

 Para quem dança, o balé é tão sutil quanto para quem vê?

 Com certeza não. Para quem assiste a um espetáculo de Dança ou mesmo bailarinos ensaiando e se expressando não imagina que para chegar a todo esse domínio de movimentos juntamente com expressão artística (todo bailarino é um intérprete), lidamos com muitos anos de dedicação, abdicação de muitos momentos com família e amigos, dores no corpo que caminham se deslocando para outras partes diferentes a cada ensaio e uma maneira particular de enfrentar desafios e frustrações. Por isso insisto que a arte não é só uma escolha e sim uma forma de vida.

 

 Foi  a mulher Carol Moreira que  escolheu a arte? Ou foi a arte que escolheu a mulher Carol Moreira?

 Me lembro que quando era muito pequena uma emoção maior tomava conta do meu corpo quando escutava determinadas músicas que sem explicação, me emocionavam. Minhas mãos suavam, minha mente voava e me sentia parte de algo que me levava para um lugar só meu, parecia que flutuava! Não sei dizer se a arte foi questão de escolha pois acredito que os artistas tem um canal aberto com algo além da nossa compreensão lógica. É como se nunca estivéssemos sozinhos, a arte te move e sem ela não existe continuar.

 

 Qual resposta você daria para a vida se nesse momento ela te oferecesse um baú cheio de tesouro em troca de tudo o que você viveu em prol da arte?

 Ahahahaha...nesse momento me consideraria até muito burra com a recusa mas certamente daria as costas para o baú cheio de tesouro.

 

 No filme Meu Guri, você interpretou o papel de uma  mãe, amada de forma incondicional pelo filho. Como foi viver essa experiência?

 Uma experiência real transformada em filme. Posso dizer que abracei a ideia de me divertir com a realidade junto ao meu guri.

 

 Você também é diretora da empresa Onix Elenco?

 Sim, além de atriz, bailarina, professora e mãe tenho uma agência de atores e modelos, a Onix Elenco. Sou produtora de elenco e adoro o trabalho de fazer pessoas conhecerem outras pessoas e fazerem arte de maneira lucrativa para todos. A Onix é mais um filho que cuido com amor e dedicação.

 

 Para finalizar nos fale sobre seus projetos atuais e futuro!

 Atualmente estamos com uma parceria muito prazerosa e produtiva com o diretor Thiago Santos e temos uma série de filmagens pela frente. Além da produção de curtas-metragens estamos desenvolvendo cursos e Workshops onde os atores (todas as idades) poderão participar de nossos filmes e também ter como aprendizado tudo que envolve o set de filmagem. Nosso foco agora é viabilizar o acesso a arte de atuar juntamente com produção e divulgação do trabalho dos atores e apaixonados pelo meio audiovisual.

 Muitas coisas boas virão!!!

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »