27/07/2020 às 18h18min - Atualizada em 27/07/2020 às 18h14min

Falar um segundo idioma é cada vez mais importante, mesmo com a crise

​Com a crise financeira, as empresas têm optado por contratar profissionais completos e falar um segundo idioma é requisito básico para a maioria delas


Em tempos de crise financeira, sai na frente quem apresenta maior preparo, especialmente quando falamos de mercado de trabalho. Com menos recursos para investir, a escolha de um recrutador precisa ser estratégica, optando por contratar os candidatos com maior nível de conhecimento. Não à toa, falar um segundo idioma é cada vez mais importante, mesmo com a crise.

Como as empresas se adaptam à realidade do mercado, é fácil entender por que elas têm optado por profissionais mais completos, com conhecimento em um segundo idioma. Afinal, uma vez que os recursos são limitados, é preciso obter o máximo de aproveitamento dos integrantes de uma equipe.

Mas por que um segundo idioma é tão importante no mundo corporativo?

Não é novidade que o conhecimento de um segundo idioma é uma das habilidades mais requisitadas do mercado. Basta conferir as vagas em aberto de diferentes cidades do país para perceber essa exigência como uma constante. O principal motivo da valorização deste conhecimento no mundo corporativo é simples: a possibilidade de negociação com o exterior.

Com um mercado interno não tão estável, como vemos atualmente no Brasil, as grandes corporações precisam de profissionais capazes de comunicar e trazer lucros de outros países. Por isso, as empresas buscam por pessoas que saibam falar inglês, espanhol ou outros idiomas, visto que esse tipo de profissional será fundamental para o comércio exterior.

O conhecimento em idiomas não tão populares entre os brasileiros também representa uma vantagem competitiva. O alemão é um bom exemplo, língua que tem sido cada vez mais buscada pelos recrutadores. De acordo com o aplicativo Babbel, o alemão é falado por mais de 130 milhões de pessoas em todo o mundo, e pode ser bastante estratégico para as empresas que querem fazer negócios em um ambiente forte em tecnologia e indústria.

Ao contar com uma equipe bilíngue, uma organização pode tanto negociar com fornecedores e clientes internacionais, quanto analisar acordos comerciais, tendo maior segurança para assinar um contrato ou fechar uma parceria.

E engana-se quem pensa que somente funções de “alto escalão” exigem uma segunda língua no currículo. Na verdade, diferentes níveis hierárquicos podem requisitar esse tipo de conhecimento, sendo ainda uma cobrança para que um profissional seja promovido. São alguns indícios da importância da língua estrangeira no mundo corporativo.

Derrubando barreiras geográficas

Para muitas empresas, o isolamento social foi essencial para entender e admitir novas formas de trabalho, como acontece com as equipes que estão realizando suas funções de maneira remota.
Assim, ao invés de reunir um time de profissionais diariamente em um mesmo ambiente, todos podem trabalhar de suas casas.

Essa característica fez com que um outro universo de negociação se abrisse para diferentes campos profissionais, uma vez que o trabalho remoto é capaz de derrubar barreiras geográficas. Profissionais ligados a área da tecnologia acabaram por perceber que é possível ampliar o leque de clientes para diferentes países do mundo.

Entretanto, esse tipo de negociação só é realizada quando ambos os lados, o cliente e o fornecedor, conseguem se comunicar. Ou seja, ainda que as barreiras geográficas diminuam consideravelmente com o auxílio da tecnologia, é preciso ter um ponto comum, que é o idioma, na hora de concluir um negócio.

Essa “queda de barreiras” também se dá nos estudos. A maioria dos conceitos recentes de uma área são lançados primeiro no exterior, fazendo com que o tempo de adaptação de material de estudos de qualquer idioma para o português seja bem grande. Ao compreender outra língua, é possível estudar em instituições de outros países com facilidade e estar sempre atualizado.

Ganha mais quem tem mais conhecimento

Se as vagas estão mais restritas, consequência direta da crise financeira causada pelo novo coronavírus, as empresas também estão dispostas a investir mais em profissionais qualificados.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo site de empregos Catho, de 2018, quem fala um idioma como inglês pode ganhar até 70% a mais do que aqueles que não dominam uma língua estrangeira. Esse número é alto no Brasil pois o conhecimento de um segundo idioma ainda não é uma regra.

E mesmo para aqueles que não trabalham em regime CLT, atuando de forma autônoma, são beneficiados ao compreender um idioma por aumentarem as possibilidades de clientes ao redor do mundo. De fato, falar um segundo idioma é cada vez mais importante, especialmente na crise.

Por mais que as previsões financeiras para o restante do ano não sejam das mais otimistas, é possível encontrar oportunidades ao ter mais a oferecer ao mercado. Se ganha mais quem tem mais conhecimento, cabe ao candidato se preparar com os recursos que a tecnologia permite para ter vantagem no mercado de trabalho.
 

Link
Lucas Widmar Pelisari

Lucas Widmar Pelisari

Descobrindo o Marketing Digital, dicas de como aumentar tráfego orgânico e otimização no posicionamento de domínios perante motores de busca

Relacionadas »
Comentários »