15/01/2020 às 12h24min - Atualizada em 15/01/2020 às 12h24min

Americanense tem dois títulos mundiais de som automotivo

Os títulos vem da referência no assunto, Leandro Gomes de Oliveira, que também tem uma remuneração fixa nesta ocupação. Na cidade de Americana, o morador é destaque por ser campeão do mundo. O competidor tem 34 anos e, em outubro, na cidade de Guarujá, obteve a conquista do título de dB Drag Racing.
 
O torneio, em questão, foi disputado por participantes mundiais.

"Este é o vento mais importante que existe nesse meio, que você fica conhecido no mundo todo. São cinquenta e seis países. Na minha categoria mesmo são 514 competidores", revela Leandro.

O americanense obteve o título de vencedor na categoria Pro Stock 2K, e cada um pode utilizar, até 2mil watss de potência. O campeão é aquele que consegue maior quantidade de decibéis. Neste campeonato, o som automativo de Leandro conseguiu atingir 159.4 dB, estabelecendo, assim, um recorde novo do mundo.

 Ele já tinha sido destaque em 2018, na categoria Street Stock 1K, que permitia até 1mil watss. Naquele momento, o Leandro também conseguir o destaque da marca, atingindo 155.1 dB.
 

Salário mensal

Fora das competições, Leandro revela que tem o apoio de vários patrocinadores, que cuidam de despesas em relação a essa atividade. Isto porque, por mais que, antes fosse hobby, o som automotivo tornou-se algo sério. Ele ganha, por mês, o valor de R$1,8mil, que vem da empresa Taramps, um de seus patrocínios.

 

"Às vezes, a turma passa aqui e acha que é uma brincadeira, mas não é. De hobby já passou a trabalho mesmo", diz Leandro em relação ao que pensam sobre esta atividade.

Além disso, o americanense também é responsável pela administração de uma loja de som automotivo que se localiza no Jardim São José, lugar em que tem o costume de se preparar para os campeonatos e afins.
 

Preparo para os torneios

O Leandro tem um Corsa GM 2001, que usa para competir. Até a titulação mundial, este veículo teve que passar por algumas alterações que auxiliaram o Leandro a dar a elevação do nível dos decibéis. Em relação aos campeonatos, o júri fez e sempre faz uso de equipamentos que conseguem avaliar apenas a parte interior do carro. Por conseguinte, o automóvel precisa ser abafado para gerar melhores resultados.

Isto significa que todos os aparatos que podem ajudar a manter o som isolado são preparados antes das competições.

 E é dessa forma que o Leandro trabalhou nas mudanças do Corsa. Com um revestimento de poliuretano, que se trata de uma categoria isolante acústica, ele também complementou o veículo com uma manta de 10mm. O vencedor deu o seguinte exemplo: "se atirar bala, com revólver, não passa para dentro do carro".
 

Baterias que dão conta

Na parte interna do corsa, há duas baterias, responsáveis pelo abastecimento do carro através de 10 cabos de 120mm: 5 pelo positivo e 5 negativo.

 "Se eu passasse um cabo de cada aí, eu estaria tendo perda na descarga da bateria", revela.

 O som, de fato, está no porta-malas, conectado a um aparelho amplificador. E frente a tantas ondas de som, o Leandro conta que precisa se deitar no para-brisas quando está competindo, a fim de que o vidro não tenha um deslocamento. Estes competidores não costumam se apresentar com músicas, e sim uma frequência fixa.

Os clientes de Leandro, ainda, comentam que o competidor é sempre simpático e que são bem atendidos em sua loja. O competidor concilia a administração de seu negócio com a atividade, antes um lazer, que premiou a ele os dois títulos importantes.
 
Link
Relacionadas »
Comentários »