27/04/2012 às 21h17min - Atualizada em 05/05/2012 às 22h40min

Mãezona comanda

É a “youtubização” da TV brasileira.

Fabio Maksymczuk

Olá, internautas

A TV Cultura estreou nesta semana o programa “Cartãozinho Verde”, versão infanto-juvenil do “Cartão Verde” que há quase 20 anos permanece na grade de programação da emissora da Fundação Padre Anchieta.

A nova aposta da Cultura tem uma brevíssima duração de 15 minutos. É a “youtubização” da TV brasileira. Quando o debate começa a envolver o telespectador, chega ao fim a atração. A versão compacta diária conta com a participação dos garotos João Alves Braga, Pedro Crema, Matheus Ribeiro e Eric Lanfredi, sob mediação da atriz e arte-educadora Cristina Mutarelli. Cristina funciona como uma grande mãezeona das crianças. Ela comanda o programa, lança as perguntas e até controla os ânimos da garotada com um simpático apito.

Nesta primeira semana, os meninos passaram a impressão de seguir a cartilha dos jogadores de futebol. Resposta padrão. Comportamento padrão. Tentam passar a imagem de adultos mirins em uma atração infantil. Isso não é legal. Criança é criança. Mesmo nesse ambiente, o sãopaulino Pedro Crema passou ares mais de acordo com sua idade. Vacilou em algumas respostas, como falar que times europeus disputam a Libertadores. Risada geral no estúdio. A espontaneidade deveria aparecer mais no debate.

Além disso, matérias externas feitas com o quarteto deveriam aparecer no “Cartãozinho Verde”. Os meninos poderiam frequentar os centros de treinamentos dos clubes, mostrar as divisões de base e entrevistar os ídolos de Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos.

O foco do “Cartãozinho Verde” deve ser as crianças e não a arte-educadora. Os meninos precisam ficar mais livres e espontâneos nos debates.

Fabio Maksymczuk

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »