29/10/2018 às 23h32min - Atualizada em 29/10/2018 às 23h32min

Nota APAS – Resultado das Eleições 2018

Renato Galvão

Divulgação
Nota oficial da APAS sobre as eleições 2018 no Brasil: 

A APAS – Associação Paulista de Supermercados entende que as eleições em 2018 provavelmente foram as que tiveram posições mais radicalizadas entre os candidatos, tanto no nível federal quanto estadual, o que levou muitos eleitores a votarem por exclusão. 

Segundo a entidade, independente da opção dos eleitores, o que tem de maior valor neste processo é a possibilidade de cada um fazer sua escolha, e isso só é possível em um estado democrático de direito.

Assim, finalizadas as eleições, a APAS espera que cada candidato eleito entenda que governará para todos e não para parte ou para setores da sociedade, e que esta posição deverá nortear os princípios da gestão de cada governante eleito. 

Para os candidatos e partidos que disputaram a eleição e não foram eleitos, a APAS deseja que exerçam seu papel de fiscalizar a gestão dos governantes de forma propositiva e que levem em consideração toda a sociedade. 

A entidade acredita que ações de governo que estejam alinhadas a fatores como geração de empregos, investimentos na qualidade da educação, diminuição da máquina pública e simplificação tributária irão favorecer o desenvolvimento dos setores produtivos do país e a geração de maior renda à população.

Nesta linha, a APAS se ateve a estudar os pontos das propostas de governo dos candidatos eleitos e, por meio de sua representatividade, exercerá seu papel em cobrar as ações que estejam relacionadas ao setor supermercadista, esperando de fato um projeto de estado e não de governo.

No estado de São Paulo, as propostas do governador eleito João Doria prometem ações que aumentem o empreendedorismo, como ampliação da atuação da Agência de Desenvolvimento de São Paulo (Desenvolve SP) para o estímulo aos financiamentos e investimentos em micro e pequenas empresas; programa de desestatização; simplificação do processo de abertura e regularização de empresas; intensificação do uso de modelos de parcerias com o setor privado; investimento na informatização do estado; e definição de medidas de combate à guerra fiscal do ICMS entre os Estados.

No país, as ações propostas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro que estão em linha com o crescimento de setores como o supermercadista são os princípios do liberalismo, em que a livre concorrência é estimulada; a busca pelo equilíbrio das contas públicas do governo, organizando e desaparelhando as estruturas federais; desmobilização de ativos públicos por meio de privatizações e da venda de propriedades imobiliárias da União; manutenção do tripé macroeconômico vigente (câmbio flexível, meta de inflação e meta fiscal); a criação de novo modelo de carteira de trabalho baseada em vínculos empregatícios fixos ou contratos individuais; permissão legal para a escolha entre sindicatos; redução de alíquotas de importação e de barreiras não-tarifárias; simplificação de abertura e fechamento de empresas em até 30 dias; e estímulo à gestão do espaço rural pelos produtores.

Por meio de sua participação em fóruns governamentais de desenvolvimento e audiências públicas, além de sua influência política, a APAS procurará ser próxima ao governo estadual para fazer valer a voz do empresário e empreendedor supermercadista e defender os interesses do setor.

Já em parceria com a ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados, da qual é integrante e que tem participação na UNECS (União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços), a APAS acompanhará de perto o governo federal, apoiando e cobrando as ações que estejam em consonância com as propostas eleitorais.

Tanto nos âmbitos estadual quanto federal, a APAS espera acima de tudo maior eficiência do estado, melhora do ambiente de negócios, cumprimento dos deveres em assegurar os serviços essenciais e garantia aos direitos de todos.

Link
Relacionadas »
Comentários »