10/02/2012 às 18h39min - Atualizada em 03/05/2012 às 18h39min

Vejam o que rolou no 1º Campos Jazz Fest!

Faço conta de enumerar todas essas atrações, passando os links de seus sites

Nando Pires

Inicialmente, quero parabenizar a “Lucas Shows” pelo excelente desempenho quanto à produção do “1º Campos Jazz Fest” estendendo esse cumprimento à toda sua equipe, ora representada na pessoa de “Herbert Lucas”.

Não só por conta do dimensionamento de toda a estrutura física, nem tampouco pela perícia técnica de sua operação e cordial trato, mas também pelo “line up” (seqüência de shows) fantástico que com três espetaculares apresentações diárias botou fogo na já aquecida “Campos do Jordão”!

Faço conta de enumerar todas essas atrações, passando os links de seus sites, porque realmente são excelentes e valem à pena suas indicações: “A Big Time Orchestra” tem incontáveis 12 componentes que tocam de forma enlouquecida, se desdobrando, se multiplicando e irradiando uma autêntica e intensa animação “rockabilly” ao público – seu site é: www.bigtime.com.br

Outra apresentação memorável ficou por conta de “Donny Nichilo & Igor Prado Band”, que por si só já se consolidam em duas “quentíssimas” dicas! Tendo lido seu release, sabia que o cantor, pianista e gaitista norte-americano, “Donny Nichilo” havia tocado com “Carlos Santana”, mas brevemente ele complementou também ter tocado com “Steve Ray Vaughan” e “Buddy Guy”, todos lendas mundiais da música! Para que o ouçam, segue seu MySpace: www.myspace.com/donnynichiloband

É possível imaginar o “know-how” que o guitarrista “Igor Prado” e sua banda, “Yuri Prado” (bateria) e “Rodrigo Mantovani” (contrabaixo) tem para acompanhar “Donny”! Eles formam um “power trio” consistente e realmente as guitarras de “Igor” falam alto, muito alto! Aí vai o link para que ouçam mais esse fantástico trabalho: www.myspace.com/igorprado

O “tradicional jazz” ficou a cargo da “Orleans Street Jazz”, que com uma tuba ao invés de um contrabaixo, acompanhado de um banjo, trombone de vara, trompete e uma equipada washboard (tábua de lavar roupas), botou todo mundo para cantar e dançar! Procurando pelo nome do grupo, acharão seus vídeos no Youtube.

A cantora paulistana “Izzy Gordon” mandou ver com sua penetrante voz forte e, como se não bastasse, no meio de seu show baixou um E.T. musical chamado “Bocato”, o trombonista que acompanhou “Elis Regina” no final de sua carreira, e aí sim eles literalmente “quebraram tudo”! Uma peculiaridade sobre essa apresentação, é que eu havia identificado um instinto mais rebelde no modo de “Fernando Rosa” tocar seu contrabaixo e quando “Bocato” e “Izzy” estavam à toda, ele veio para botar ainda mais “lenha na fogueira” e transformar essa apresentação num dos pontos altos do festival! Seguem seus links: www.izzygordon.com.br e www.myspace.com/bocatoegrupo

A cantora espanhola “Sara Pi” abriu a noite de sábado com a suavidade de seu jazz e uma beleza plástica típica das divas POP, qualidades que embalaram o público pelas linhas melódicas de sua afinada voz! Desfrutem de sua música através de seu MySpace: www.myspace.com/spacesarapi

“Blues Etílicos”, quem não conhece ou nunca ouviu seu blues rock deveria sair correndo para fazê-lo! Certamente um dos shows mais pesados e animados do festival que serviu para incandescer o que já estava quente e incendiar tudo! Relendo esse texto percebi quantas qualificações relacionadas ao calor utilizei e sabem porquê? Porque foi “quente” mesmo! (risos) Quantos corações lá estivessem presentes, quantos bateriam mais forte! Não tenho dúvida disso. E quanto ao “Blues Etílicos”, eles não têm toda a longevidade e representatividade no blues brasileiro à toa! Sua expressividade e qualidade são inquestionáveis e por isso sugiro com entusiasmo que ouçam seu trabalho! Segue o link: www.bluesetilicos.com.br

Uma aula, foi a apresentação de “Cláudio Goldman”! Passeando pelo clássico e o popular, narrando histórias e ilustrando-as com seu piano e ampla tessitura vocal, ele fez um “work shop” que cativou aos presentes, como bons professores o fazem com seus alunos! Conheçam seu trabalho: www.claudiogoldman.com.br

O outro norte-americano a pasmar o público com suas frenéticas notas na guitarra foi “Kenny Brown”, que acompanhado de uma formação totalmente brasileira (um baterista, um contrabaixista e um tecladista), fez o blues se transformar numa grande festa a ritmar o fechamento do festival com muita animação e alegria, ao mesmo tempo que já começava figurar a lembrança da implacável segunda-feira e seus compromissos que viriam no dia seguinte… (risos) Mas “Kenny” não deixou a peteca cair e botou o astral lá no alto, ainda que todos ali presentes desejassem que aquele final de semana musical tivesse mais uns 15 dias! Vejam o trabalho de “Kenny” em seu MySpace: www.myspace.com/kennybrownguitar

Essa foi uma breve resenha do “1º Campos Jazz Fest” e futuramente passarei a pautar esses artistas com maior espaço, visto que cada um encerra um universo musical próprio, detém grande talento, qualidade e vale como ótima fonte de “música boa”!

Desejo a todos um ótimo, revigorante e animado final de semana, desta vez ao som do bom blues e jazz, fantásticos gêneros musicais!

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »