15/12/2015 às 17h00min - Atualizada em 15/12/2015 às 17h00min

Óleo de prímula: o que é e quando usar?

O óleo de prímula é um produto extraído da semente de uma flor chamada Oenothera biennis, típica da América do Norte, que pode proporcionar muitos benefícios para a saúde, especialmente para a pele e as mulheres, por ser rico em ácido gamalinolênico (GLA), um ácido graxo essencial da família ômega 6, que não é produzido pelo nosso corpo, devendo ser obtido pela alimentação.

O ácido gamalinolênico é precursor de prostaglandina, um composto que possui ação anti-inflamatória, que faz do óleo de prímula um ótimo aliado para combater inflamações. Além disso, é indicado para ajudar a minimizar os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM), como inchaço e dores nos seios.

Seu consumo é interessante para a pele, já que pode melhorar a sua hidratação e elasticidade, minimizando os sinais de expressão e rugas, bem como controlar a dermatite atópica, uma doença inflamatória e autoimune. Ainda sobre sua ação anti-inflamatória, o óleo de prímula pode ajudar a controlar a hipertensão associada ao estresse.

Apesar de esta não ser a sua principal função, o óleo de prímula também pode auxiliar no controle do peso devido à sua atuação em processos anti-inflamatórios, desde que associado a bons hábitos alimentares e à prática de exercícios físicos.

O óleo de prímula é encontrado em forma de cápsulas, que facilitam o seu consumo. A recomendação para ingestão varia de acordo com cada fabricante, mas geralmente é indicada de uma a duas cápsulas ao dia. O ideal é seguir a orientação de um nutricionista para adequar o consumo do óleo de prímula de acordo com as suas necessidades.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »