12/06/2015 às 16h24min - Atualizada em 12/06/2015 às 16h24min

Amor Peludo

BRUNA MEDEIROS - GAZETA

De repente você vê um pouco além em uma das formas do amor. Todos sabemos que em suma animais domésticos são dóceis e amáveis com as pessoas. Mas tive a oportunidade de conhecer e amar de forma recíproca um cachorro de raça mista (poodle com ilhasa apso) 5 que encontrei vagando pela rua em sábado de chuva. Não sou dessas defensoras assíduas da luta ao favor dos animais, não tenho o hábito de pegar cachorros perdidos, mas esse dia foi diferente e peguei esse e levei para casa, dei banho, comida, remédio, um "provisório" nome (DOM), cuidei por três dias, até sua dona aparecer, felizmente e infelizmente. Mas em tudo isso fiquei pasma com sua doçura, meiguice e carinho comigo e minha família. Apesar de tudo estranho e muito amedrontado ele foi só amor. Arrancou tantos sorrisos e carinhos de todos em casa. E minha maior surpresa em tudo isso foi sentir tudo isso de um animal que não foi domesticado por nós, pois é previsível receber isso do seu animal, mas ele não tinha ideia de quem éramos, mas nos amou, mesmo com medo nos amou. Olha meu coração ficou divido, feliz por ajudar a dona e decepcionado por ter de entrega-lo. Mas o fiz e guardei toda aquela doçura comigo e salvei as lições que ele nos deixou.

* Entre o medo e o amor ele escolheu o amor, o afeto.

* Eles sabem amar os estranhos.

* Eles só precisam de carinho e cuidado.

* Poucas pessoas no mundo te darão a ternura, amor e rápida fidelidade que um peludo te dará.

Sendo assim deixo meu sincero conselho, adote um animal perdido ou maltratado, eles não te decepcionarão. 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »