12/06/2015 às 16h10min - Atualizada em 12/06/2015 às 16h10min

Sensibilidade e coragem, duas verdades.

BRUNA MEDEIROS - GAZETA

A vida é muito mais do que viver ela é mais um "sentir" do eterno aprender... Do que vale uma vida vivida sem ser "sentida"? Sem a tal sensibilidade não há verdade. E como viver verdadeiramente sem saber sentir o toque do raio do sol e não apenas o seu calor? Sem sentir a textura de um beijo, mas apenas o seu toque? Como não sentir a profundidade das palavras e apenas ler suas meras letras? Ou não sentir o afago de uma melodia ouvindo somente sua música? Como conviver diariamente com pessoas sem sentir diversas vezes a alegria radiante de um sorriso verdadeiro? E jamais se sentir tele transportado por um bom livro e seguir apenas atribuindo seu mero conhecimento.

A sensibilidade que temos para com a vida nos seus detalhes e das pessoas que passam por ela eu diria que deve ser sublime, isso poderá determinar nosso caminhar.

Humanos precisam ser apenas humanos, que sentem as dores próprias e uma compaixão com a do outro, seres que olham para cima para ver o tempo e enxergam com gratidão o sol de todos.

Sem sensibilidade a vida é um simples retornar "de mim, para mim, eu sou assim coitado de mim!". Porém, de pouco adianta sentir e não ter coragem de admitir. Sentir o amor e esconde-lo ou então sentir asco e suporta-lo e de que vale o medo se não para vencê-lo? Ter fé, porém, morna, então não fará obras.

A coragem madura traz autenticidade e humildade lhe implanta princípios te aponta onde aperfeiçoar-se pois, quem tem coragem luta e na guerra cada falha pode ser fatal, será que existe alguém que não quer sobreviver?

Coragem e sensibilidade são duas palavras bem distintas, entretanto, primordiais em cada vida.

>Textinho que nasceu após assistir o filme 'A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS', amei!!! 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »