06/06/2015 às 23h01min - Atualizada em 06/06/2015 às 23h01min

Rachel Kosta

Atriz, fiel companheira de toda beleza existente na arte; ambas se completam

Thiago Santos

 Quem é o ser humano Rachel Kosta?

 É uma pernambucana que encara os desafios com muita fé e persistência.

 

 Como amante que sou, da escrita. Me rendo em admiração, pois sua graça é formada em letras?!

 O curso de Letras foi muito importante para minha formação como atriz e ser humano. A faculdade me estimulou a ler mais, a ser solidária, e a trabalhar em equipe. Também me fez conhecer as dificuldades que a educação brasileira enfrenta, mas que um bom profissional pode superar por meio do esforço próprio.

 O ator precisa saber se comunicar bem, tanto oralmente como verbalmente, e a formação me deu segurança para falar em público e escrever corretamente.

 

 

 

 

 Quando lhe aconteceu aquele momento em que sua consciência se deu conta de que, pela arte da interpretação, amor você sentiria?

 Eu sempre gostei de arte; o teatro era minha paixão desde criança. E eu era muito tímida, tanto que participei de algumas peças na escola para vencer a timidez. No último ano do colégio, quis prestar vestibular para Artes Cênicas. Minha família não aceitou: falou que ser ator não é ter uma profissão. Deixei aquele sonho adormecido e cursei Letras, mas logo vi que não era aquilo que eu queria para minha vida.

 Em 2010, arrumei as malas e decidi encarar o Rio de Janeiro. Fiz vários cursos. Sofri e me decepcionei, mas aprendi que valorizamos mais nossos sonhos quando os desafios são maiores. Comecei a fazer peças e, graças a Deus, nunca mais deixei os palcos. Amo teatro e acho que o palco é a melhor preparação para o ator.

 

 

 

 

 

 E o primeiro personagem lhe fez viver emoções inesquecíveis até o dia de hoje

 Foi Susana, personagem da peça “O Casamento Suspeitoso”, do saudoso Ariano Suassuna. Esse personagem foi um presente de Deus, por me permitir começar a carreira artística no Rio de Janeiro fazendo uma peça desse ícone cultural que era Paraibano de nascimento e Pernambucano de coração. Foi uma honra para mim. Acho que foi um sinal de que tudo iria dar certo, que esse era o caminho que eu deveria percorrer.

 Susana é uma casamenteira, tem um amante e quer casar a filha com um rapaz rico. É uma personagem cômica e perspicaz, e eu me diverti muito interpretando. Ela será inesquecível, pois foi através dela que pisei pela primeira vez em um palco carioca, no Teatro Solar de Botafogo.

 

 Houve algum trabalho artístico que lhe proporcionou inspirações para o todo de sua vida?

 Meu trabalho atual! Ao Som Dó Ré Mi: A Noviça Rebelde – O Musical.

 Estou fazendo dois personagens completamente diferentes: a freira Margarete, e a Baronesa Elsa Von Schraeder. Tive que fazer estudo de voz e corpo para cada personagem.

 Não poderia, neste ensejo, deixar de falar da diretora Grazi Luz. Ela sempre acreditou em mim, e me lançou o desafio de fazer 2 personagens. Sempre me corrigiu e me aconselhou, no entanto me deixando livre para criação dos personagens. É maravilhoso trabalhar com liberdade de criação! Para o ator, isso é sensacional: as coisas ficam mais naturais e orgânicas. Gratidão ao Universo por ter conhecido esse ser de luz.

 Tenho uma troca de roupa super rápida entre uma cena e outra, e preciso da ajuda de amigos do elenco para que isso ocorra com perfeição. Há também outro colega que faz o penteado. Esse trabalho ilustra que não somos nada sozinhos, pois sempre dependemos dos outros para que a peça ande bem. Aprendi a trabalhar com pessoas diferentes, e a entendê-las, tendo cada uma sua personalidade e forma de ser. Em equipe somos mais fortes!

 

 

 

 

 E como lhe são importantes todos que tem do seu amor e por você são amados na apreciação de uma apresentação?

 Não posso deixar de citar meu maior apoiador e incentivador do meu trabalho, meu marido Silvio Costa, que sempre me ajudou na realização do sonho de ser atriz. É meu fã incondicional, meu porto seguro, meu crítico. Sempre está na plateia, divulga meu trabalho, se emociona e me faz a pessoa mais feliz do mundo!

 

 De que forma as qualificações por meio de cursos podem cooperar em prol da carreira de um artista?

 O ator deve estar sempre se reciclando. Cursos e workshops são importantes para adquirir novos conhecimentos e conhecer novas pessoas.

 

 

 

 

 Dublagem?

 A dublagem é um desafio na minha carreira. Fiz um curso de 2 meses na CAL com a excelente profissional Mabel Cezar. Aprendi bastante. Fiz o curso para conhecer esse universo da dublagem. Pretendo mais tarde fazer outro curso de longa duração para aperfeiçoar o que aprendi. O ator deve estar preparado para os desafios na carreira. Já imaginou se me convidam para fazer uma dublagem e eu não estou pronta?

 

 Para finalizar nos fale dos seus projetos atuais e futuros!

 Atualmente estou em cartaz com a peça infantil Ao Som Dó Ré Mi: A Noviça Rebelde – O Musical –. Todos os sábados e domingos de junho às 15 horas no Teatro Fashion Mall, em São Conrado, Rio de Janeiro.

 A peça está linda, um espetáculo que vai encantar crianças e adultos! Não bastasse o poder dessa magnífica e clássica história, temos ainda a experiência e sensibilidade da nossa diretora, Grazi Luz, que soube adaptar magistralmente o clássico em um infantil muito bem humorado, no qual o elenco está dando o melhor de si, com destaque para as 14 crianças que estão se revezando no papel dos 7 filhos do capitão George Von Trapp. Verdadeiramente imperdível!

 Para o futuro próximo, já estou ensaiando mais um infantil da mesma companhia (FazArt Produções) com estreia prevista para Setembro. É esperar para ver!

 

 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »